Irlanda aprova em referendo o casamento gay, diz TV local

'Sim' atingiu vantagem que não pode ser superada pelo não
| 23/05/2015
- 21:14
Irlanda aprova em referendo o casamento gay, diz TV local

‘Sim’ atingiu vantagem que não pode ser superada pelo não

A Irlanda se tornou o primeiro país do mundo a aprovar em um referendo o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Com as urnas do referendo de sexta-feira (22) apuradas em 39 das 43 circunscrições, o “sim” atingiu percentual de vantagem que não pode mais ser superada pelo “Não”, anunciou o canal de televisão nacional segundo informações da France Presse.

A notícia foi recebida com muita festa pelos partidários do “Sim”, muitos deles reunidos na esplanada do castelo de Dublin, e rompe com o domínio hegemônico sobre a moral pública exercido durante séculos pela Igreja Católica, que pediu o voto contra o casamento gay.

A Igreja defendeu o voto “não”, em um país no qual mais de 90% das escolas do ensino básico estão sob a tutela da instituição, os sinos tocam duas vezes por dia na televisão pública e 84,2% da população se declara católica, informou a France Presse.

Mas os irlandeses ignoraram o apelo religioso. Os defensores do casamento entre pessoas do mesmo sexo na Irlanda começaram a comemorar antes mesmo do anúncio oficial do resultado. A esplanada do castelo de Dublin, que já foi a residência dos governantes britânicos e sempre foi um símbolo do poder, ficou lotada de partidários do “sim”, em um clima de festa.

Na sexta-feira, mais de 3,2 milhões de irlandeses estavam registrados para votar a favor ou contra uma emenda constitucional que contempla que “o matrimônio pode ser contratado de acordo com a lei por duas pessoas, sem distinção de sexo”.

O referendo, organizado 22 anos depois da homossexualidade deixar de ser considerada crime naIrlanda, provocou debates intensos nas últimas semanas, em um país no qual a Igreja Católica, contrária ao casamento gay, mantém uma influência considerável.

Os defensores da reforma constitucional receberam o apoio de várias celebridades, como o cantor Bono, do grupo U2, e o ator Colin Farrell, segundo a France Presse. Do lado do “Não”, a Igreja Católica de Irlanda e os conservadores defenderam que o matrimônio deveria seguir exclusivo para a união entre um homem e uma mulher.

O primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel, recém-casado com o arquiteto belga Gauthier Destenay, parabenizou neste sábado a Irlanda pela votação a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo em um referendo. “Eu disse ‘sim’ na semana passada, a Irlanda disse ‘sim’ hoje, e em 7 de junho direi ‘sim’ três vezes seguidas”, escreveu Bettel em sua conta no Twitter.

Bettel foi o primeiro líder gay da União Europeia a se casar. O primeiro-ministro, de 42 anos, havia anunciado em agosto de 2014 a intenção de se casar com Gauthier Destenay, um arquiteto belga com quem estava unido por contrato de união civil desde 2010.

 

Veja também

Últimas notícias