Mundo

Falha técnica é a causa mais provável da queda do Airbus russo

Representantes de empresa admitiram que avião tinha problemas

Midiamax Publicado em 02/11/2015, às 14h53

None
destrocos_aviao_sinai2_400x300_reproducao.jpg

Representantes de empresa admitiram que avião tinha problemas

Em entrevista coletiva que a empresa concedeu nesta segunda-feira (2) em Moscou, os representantes da Kogalymavia afirmaram que a causa da queda do avião foi "externa". A companhia russa – também conhecida como Metrojet – confirmou que o avião A231, que caiu no sábado (31) na Península do Sinai, no Egito, apresentava falhas técnicas na parte da cauda.

Representantes da Kogalymavia afirmaram que a causa da queda do avião no Egito  foi "externa". "Ao começar a cair, o A321 sofreu prejuízos construtivos significantes", afirmou um dos representantes.

Estas palavras foram contestadas pela agência Reuters, que alega uma fonte na comissão egípcia encarregada de investigar o acidente.

A empresa Airbus irá fornecer todo o apoio técnico necessário às autoridades envolvidas na investigação de acidente do avião russo Kogalymavia no Egito, disse o comunicado publicado no siteda filial russa da empresa Airbus.

Algumas horas depois da catástrofe, o presidente russo Vladimir Putin ordenou a criação de uma comissão especial para investigar as causas do acidente, chefiada pelo ministro do Transporte Maksim Sokolov.

A agência russa de transporte aéreo, Rosaviatsia, afirmou que a companhia aérea Kogalymavia será submetida a uma inspeção extraordinária.

Não há indicações de que o Airbus russo tivesse sido abatido. O avião, que seguia a rota de Sharm El-Sheikh para São Petersburgo, desapareceu do radar em 03:21 GMT, 23 minutos após a descolagem.

A declaração também é citada pelo canal de televisão RT.

Jornal Midiamax