A filha única de Elvis Presley, Lisa Marie Presley, morreu aos 54 anos nesta quinta-feira (12), vítima de uma parada cardíaca, assim como o pai. Sua vida pública foi marcada por uma estreia bem-sucedida como cantora e compositora e por dramas pessoais como os casamentos conturbados com Michael Jackson e Nicolas Cage, além da dependência química e perda de um dos quatro filhos.

Lisa foi encontrada morta pela governanta da mansão onde vivia, em Calabasas, na Califórnia (EUA). Dois dias antes, havia comparecido ao Globo de Ouro, ao lado da mãe Priscila, para acompanhar a premiação do ator Austin Butler na categoria “Melhor ator de drama”, no filme que conta a história de Elvis.

Cantora e compositora, Lisa demorou a se lançar no mercado musical. Seu álbum de estreia e seu terceiro lado foram especialmente elogiados. Ela não foi poupada, no entanto, das comparações com o pai.

Dramas pessoais

Lisa se casou com o músico Danny Keough, com quem teve dois filhos: a atriz Riley Keough, 33, e Benjamin. Apenas um mês após a separação, se casou com Michael Jackson, de quem se divorciou após várias polêmicas.

Lisa também foi casada com o astro Nicolas Cage, mas a relação durou poucos meses. Seu último casamento foi com o guitarrista Michael Lockwood, com quem teve as gêmeas Harper e Finley, 14.

A artista falou publicamente sobre sua dependência em opioides e cocaína que a levou a buscar ajuda especializada em 2012.

Em 2020, Benjamin Keough foi encontrado morto em Calabasas. Ele cometeu suicídio. Poucos meses depois, Lisa vendeu a mansão em que morava com Benjamin.