Karol Eller, de 36 anos, morreu na última quinta-feira (12), em São Paulo, após publicar uma ‘carta de despedida’ afirmando que havia ‘perdido a guerra’.

Apoiadora política, Karol, que era prima de 3° grau da cantora Cassia Eller, ficou conhecida quando ainda morava nos e mostrava aos seguidores como era sua rotina por lá. Foi nesta mesma época que ela se aproximou e criou vínculo com a família . Em 2019, um ano depois que foi eleito presidente, Karol foi nomeada para um cargo na EBC (Empresa Brasil de Comunicação), do qual ela foi exonerada em 2023.

Poucos meses depois, a influenciadora passou a atuar como assessora do deputado estadual paulista Paulo Mansur (PL-SP), que foi o primeiro a divulgar uma nota sobre seu falecimento.

‘Carta de despedida’

Na noite da última quinta-feira (12), Karol publicou um story com um conteúdo semelhante a uma carta de despedida. Nikolas Ferreira, deputado e amigo da ativista, preocupado com a publicação, pediu ajuda em suas redes sociais.

“Estou tentando ligar pra Karol Eller mas ela não atende. Alguém que está em SP pode ligar para a polícia e ir no endereço??”, compartilhou através do Twitter. Uma hora depois, ele confirmou seu falecimento. “Escrevo isso praticamente sem forças, mas infelizmente Karol Eller veio a óbito. Que o Senhor conforte a vida de seus familiares” lamentou.

Em setembro, Karol havia participado de um retiro religioso e, após voltar, anunciou sua conversão ao protestantismo, afirmando ter “renunciado à prática homossexual”, além de “vícios e desejos da carne”.