A Central de Transplantes do Estado de São Paulo informou, ainda neste domingo (27), que o coração doado a Faustão era compatível com 12 pacientes. Destes, 4 eram prioritários e o apresentador de 73 anos era o segundo na lista das prioridades. Se não era o primeiro da fila, como e por que Fausto Silva recebeu o coração disponível?

Em nota, a Central de Transplantes diz que a primeira pessoa da fila desistiu de receber o órgão. “A equipe transplantadora do paciente que ocupava a primeira posição decidiu pela recusa do coração e, desta forma, a oferta seguiu para o segundo paciente da seleção”, diz o comunicado.

Em média, conforme a Central, em São Paulo, um paciente priorizado espera em torno de um mês por um órgão. Faustão, no entanto, recebeu o coração sete dias após entrar oficialmente na lista de transplantes.

De acordo com o Ministério da Saúde, o comunicador foi priorizado na fila de espera “em razão de seu estado muito grave de saúde”.

“Neste domingo (27), mais um paciente na capital paulista foi contemplado com um transplante cardíaco, neste caso, também priorizado na fila de espera em razão de seu estado muito grave de saúde – o apresentador Fausto Silva. Ele recebeu um coração após constatada a compatibilidade necessária para o procedimento, assim como os outros sete transplantados”, diz nota do Ministério da Saúde sobre o caso.

Ainda de acordo com o órgão, entre 19 e 26 de agosto, foram realizados 13 transplantes de coração no País, sendo sete em São Paulo.

Conforme o Hospital Abert Einstein, responsável pelo transplante de coração de Faustão, a cirurgia foi um sucesso. Ele agora permanece na UTI, pois as próximas horas são importantes para acompanhamento da adaptação do órgão e controle de rejeição, segundo o boletim médico do Hospital.