Esdon Ribeiro e Telma Fonseca, pais de Bruna Biancardi e avós de Mavie, filha do jogador Neymar, passaram por momentos de terror durante a invasão de bandidos em sua casa. Eles foram rendidos e, assim que entraram na residência, os assaltantes perguntaram onde estava a pequena Mavie, fruto do relacionamento do jogador com Bruna Biancardi. A sogra de Neymar chegou a ser ameaçada com óleo quente caso não cooperasse com os ladrões.

As informações foram reveladas pela delegada Monica Gamboa, durante uma coletiva de imprensa realizada pela Polícia Civil. A delegada destacou que o crime foi arquitetado por uma quadrilha. “Eles deixaram o casal amarrado na casa, os dois [estavam] com um enforca-gato. O pai dela conseguiu se desvencilhar, e na sequência desamarrou a esposa. Logo em seguida eles correram para a portaria e pediram apoio da polícia”, detalhou Gamboa.

“Ele estava arquitetando esse crime com um parceiro dele. E nas próximas horas vamos pegá-lo”, prometeu. “Não temos qualquer indício que a Polícia Civil identificou uma motivação para sequestro ou que já tivesse um cativeiro preparado, como foi noticiado por alguns lugares”, completou a delegada.

Além disso, os criminosos teriam ameaçado jogar óleo quente na sogra de Neymar. “É uma quadrilha que não tem condenações criminais, mas todos têm envolvimento com o crime, inclusive programando outros assaltos. Eles foram amarrados. Pai colocado com rosto no colchão, enquanto a mãe de Bruna foi levada para cozinha e ameaçada por arma de fogo na cabeça para revelar o local onde guardava as joias: ‘Vamos jogar óleo quente na sua cara’, disseram”, detalhou.

“Eles mantiveram a mãe da Bruna como refém, perguntaram onde estava a Bruna, onde estava a bebê. Entendo que ele tenha perguntado isso para saber onde estavam as joias. Eles pediram para a mãe mostrar onde estavam os objetos de valor. A mãe mostrou que o cofre estava vazio, que não tinha dinheiro. Um deles questionou: ‘Como assim a sogra do Neymar não tem dinheiro em casa?’. E ela falou: ‘Como você disse: eu sou sogra, não sou ele'”, contou a delegada.

Um jovem de 19 anos que já tinha passagens pela polícia por crime de tráfico foi detido pela polícia. A investigação também já sabe identidade de outro criminoso, de 22 anos, que segue foragido. O terceiro integrante do grupo ainda não foi identificado.