MidiaMAIS / Famosos

Billie Eilish se pronuncia após acusações de falas racistas

Fãs da cantora ficaram decepcionados após um vídeo antigo dela ressurgir na web

Nathália Rabelo Publicado em 22/06/2021, às 18h00

None
(Foto: Reprodução)

A cantora Billie Eilish vem enfrentando críticas desde segunda-feira (21) quando um vídeo, aparentemente antigo, em que ela aparece cantando Fish, de Tyler The Creator, ressurgiu no TikTok. Além da música ter uma expressão ofensiva para asiáticos, a cantora ainda é acusada de fazer uma imitação do que seria o modo de falar de pessoas dessa etnia.

Depois da repercussão do caso, Eilish foi à internet divulgar uma carta de desculpas. “Eu amo vocês, e muitos de vocês têm me pedido para abordar isso“, escreveu Billie. “E isso é algo que QUERO abordar porque estou sendo rotulado como algo que não sou”, iniciou ela.

“Há um vídeo editado em torno de mim quando eu tinha 13 ou 14 anos, onde eu murmurei uma palavra de uma música que na época eu não sabia que era um termo depreciativo usado contra membros da comunidade asiática. Eu estou chocada e envergonhada e quero vomitar por ter pronunciado essa palavra. Essa música foi a única vez que ouvi essa palavra, pois nunca foi usada perto de mim por ninguém da minha família. Independentemente da minha ignorância e idade na época, não há desculpa para essa atitude. Por isso lamento”, continuou.

Billie também falou sobre a imitação de uma pessoa asiática. “O outro vídeo naquele clipe editado sou eu falando em uma voz boba e sem sentido… Algo que comecei a fazer quando criança e fiz toda a minha vida ao falar com meus animais de estimação, amigos e família. É jargão absoluto e apenas eu brincando, e de forma alguma é uma imitação de alguém ou qualquer idioma, sotaque ou cultura. Qualquer um que me conhece já me viu brincando com vozes durante toda a minha vida. ”

“Independentemente de como foi interpretado, não quis dizer que nenhuma de minhas ações não tenha causado dor a outras pessoas e me parte o coração que esteja sendo rotulado agora de uma forma que pode causar dor às pessoas que o ouvem“, ela completou. “Não só acredito, mas sempre trabalhei muito para usar minha plataforma e lutar por inclusão, gentileza, tolerância, equidade e igualdade”, completou ela.

Jornal Midiamax