Dores estranhas, pele seca, visão turva e até coração fraco: 5 efeitos ruins da quarentena no corpo e como prevenir

A reclusão em casa por muitos dias traz riscos e gera efeitos sobre o nosso corpo, que com certeza sairá diferente desse período de quarentena
| 28/04/2020
- 14:54
Dores estranhas, pele seca, visão turva e até coração fraco: 5 efeitos ruins da quarentena no corpo e como prevenir
side view of young man in pajamas sitting on bed and suffering from back pain - side view of young man in pajamas sitting on bed and suffering from back pain

Ficar em casa o máximo possível se tornou a melhor arma contra o novo coronavírus desde o início da quarentena. Há mais de 1 mês diversos brasileiros tem ficado em casa para achatar a curva de transmissão do . Apesar disso, a reclusão em casa por muitos dias traz riscos e gera efeitos sobre o nosso corpo, que com certeza sairá diferente desse período de quarentena.

A estudante Carol Nunes, de 21 anos, percebeu depois de 14 dias de quarentena sem sair de casa que as costas doíam muito. Há três semanas não conseguia nem se curvar e acha que o problema esteja relacionado com a postura errada.

“Tenho toda certeza que é postura errada porque passo muito tempo sentada ou deitada sem nada pra fazer. Durante os dias normais ainda ando até a faculdade e raramente sinto essas dores. Durante as férias também tenho demais”, relatou a jovem ao Jornal Midiamax.

Já a Beatriz Camargo, de 22 anos, sentiu dores no pescoço, que já existiam antes da decretação da quarentena, mas que se agravaram sem a possibilidade de continuar o tratamento necessário.

“Já tinha dores por ficar muito no computador por causa do trabalho e também por má postura durante leituras. Meu médico me encaminhou para o RPG (reeducação postural global), mas com a quarentena o tratamento parou. Tento alongar, fazer massagem no pescoço, mas é bem complicado”, conta a jornalista.

Conversamos com especialistas da áreas mais afetadas pela reclusão, como o coração, a pele, a mobilidade corporal, o apetite e os olhos, para descobrir como diminuir esses efeitos e manter o corpo o mais saudável possível. Confira:

Falta de Mobilidade e dor nas costas

5 malefícios da quarentena no corpo e como evitá-los ao máximo

Um dos principais problemas do isolamento é a perda de mobilidade. Com o dia a dia estamos acostumados, mesmo que involuntariamente, a andar e mover nosso corpo. A quarentena também nos traz alguns problemas de saúde, como o sedentarismo causado pela falta de atividade regular do dia-a-dia, com as pessoas permanecendo maior tempo dentro de suas casas.

Após certo tempo dentro de um isolamento de uma quarentena, começamos a ver os efeitos colaterais que este mesmo isolamento social está causando, como explica o Médico Ortopedista Dr. Rodrigo Kancelskis Prado.

“O sedentarismo aliado ao excesso de comida e bebida, leva a problemas físicos e psicológicos. Sedentarismo é definido como pessoas com estilo de vida que não tem a quantidade mínima de atividade física necessária, baseado em evidência científica. Um dos riscos físicos mais frequentes que a quarentena e o isolamento em casa podem levar é a dor crônica na região da coluna, lombar ou cervical”, ressalta Rodrigo Kancelskis.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Medicina Esportiva (SBME), uma pessoa é considerada inativa quando não atinge 150 minutos de atividade física moderada, por semana ou 75 minutos de atividade intensa. Segundo um estudo da John Hopkins Medicine, uma pessoa inativa tem mais chances para: obesidade e diminuição na massa muscular corpórea (citando somente os problemas músculo-esqueléticos).

Um outro estudo publicado no Journal of Gerontology aponta que o músculo esquelético compreende aproximadamente 40% da massa corpórea humana, sendo crucial para um grande número de funções fisiológicas e até a locomoção.

Dores estranhas, pele seca, visão turva e até coração fraco: 5 efeitos ruins da quarentena no corpo e como prevenir

“A perda de massa muscular e de força ocorrem tipicamente no sedentarismo. Alguns mecanismos intracelulares e extracelulares são capazes de degradar as proteínas musculares, causando atrofia. Quando ficamos sentados por maiores períodos de tempo, seja na frente da TV ou com celulares nas mãos, os músculos lombares e cervicais ficam mais tensos. Posteriormente a falta da atividade, tem-se o enfraquecimento muscular e, consequentemente a dor”, ressalta o ortopedista.

O médico ainda afirma que o simples fato de nos movimentarmos menos possa levar a um desequilíbrio muscular e a perda de equilíbrio, com quedas mais frequentes, principalmente nos mais idosos.

“Isso é explicado pelo fato que para andar precisamos da musculatura dos membros inferiores e da coluna que, com sedentarismo e perda de massa muscular, atrofiam. Então a pessoa não tem mais tanta habilidade e força para sustentar um membro contra a força da gravidade durante a marcha, vindo a perder o equilíbrio e cair”, relata.

Como não perder massa muscular fechado em casa?

Manter o estímulo aos músculos é a principal orientação. Quando você estimula um músculo, com exercício, ele sofre pequenas roturas e a resposta do músculo é o reparo de suas fibras, falando de uma forma mais resumida, depois de uma certo tempo, dependendo desse estímulo, deixando músculo mais forte.

“Como fazer isso? Escolhendo exercício (deixo claro, apesar de conhecer o que seria bom…os profissionais da educação física e da fisioterapia tem colocado diariamente exercícios domésticos, usando peso do nosso corpo, pesos, utensílios, variando atividade, repetições, carga, planejamento de treino, alimentação) com o pensamento para ficar em casa, treinar diariamente , manter-se ativo. Cuidar do corpo e da mente. Fuja do sedentarismo e cuide de sua saude”, relembra o Dr. Rodrigo Kancelskis.

Cuidado: a quarentena pode afetar sua visão

5 malefícios da quarentena no corpo e como evitá-los ao máximo

Diante da quarentena, grande parte da população mundial teve seus hábitos alterados. Agora, mais do que nunca, a população está diante das telas de celular, tablets, computadores e televisores.

Trabalho, estudo, conferências, entretenimentos, pedidos de comida on-line, lives, shows, entre outros nos prendem frente às telas e podem causar alterações na visão, como explica a Dr. Oftalmologista Camila Yamazato.

“A Síndrome da Visão de Computador, conhecida como CVS, do inglês Computer Vision Syndrome, é uma condição temporária resultante do uso prolongado e ininterruptos de telas. Estudos americanos mostram que a CVS afeta cerca de 90% das pessoas que passam 3 horas ou mais no computador”, afirma a oftalmologista.

Quais sintomas da CVS?

  • Visão turva ou diplopia
  • Olho cansado
  • Olho seco ou irritado
  • Lacrimejamento
  • Sensação de sono
  • Dor de cabeça
  • Sensibilidade à luz
  • Vermelhidão

Como evitar ou tratar a CVS?

  • Ajustar a iluminação do ambiente
  • Ajustar o brilho e reflexo das telas
  • Hidratar a superfície ocular com o uso de colírios ou géis lubrificantes
  • Evitar ar condicionado e ventilador na direção dos olhos
  • Manter uma boa frequência do piscar, em médica piscar 1 vez a cada 5-10 segundos
  • Realizar intervalos a cada 30-40 minutos para dar uma volta, olhar para o horizonte, fechar os olhos por alguns segundos, usar colírios Lubrificantes ou fazer compressas geladas
  • Manter distância de no mínimo 30 a 40 cm entre os olhos e a tela.
  • Usar lentes com grau ligeiramente mais alto (+1,00 dioptria esférica) pode ajudar

Outro tópico a ser abordado é o comprimento da luz azul emitida pelos eletrônicos que apresenta efeito nocivo aos olhos, causando envelhecimento de algumas estruturas oculares.

“A luz azul, conhecida por luz visível, é emitida em grande parte pelo sol, mas também é encontrada em ambientes fechados em diodos emissores de luz (LEDs) frios presentes nos sistemas de iluminação da maioria das telas e lâmpadas. É dividida em duas partes, as radiações azul-violeta que são prejudiciais e podem danificar a retina, e as ondas de luz azul-turquesa que são benéficas e essenciais para sincronizar nosso relógio biológico”, ressalta a profissional.

5 malefícios da quarentena no corpo e como evitá-los ao máximo

Segundo a Dra. Camila Yamazato, a exposição prolongada ao comprimento de luz azul-violeta presente nas telas pode causar danos às células da retina através de processo oxidativo cumulativo ao longo dos anos, manifestando como uma doença conhecida como degeneração macular.

“Usamos óculos de sol para nos proteger da luz azul emitida pelo sol. E em ambientes fechados, recomenda-se o uso lentes específicas que conseguem filtrar parte dessa luz azul. Apesar de ser um excelente passatempo, o uso de computadores, tablets e celulares deve ser realizado com consciência e responsabilidade. Adotando medidas simples, pode-se reduzir os sintomas e até doenças relacionadas ao uso exacerbado das telas”, finaliza.

Coração fraco? Sim! Quarentena pode afetar sua saúde cardíaca

Passar o dia inteiro com o corpo relaxado, seja deitado ou sentado assistindo televisão, pode levar a uma perda do desempenho cardiovascular e, de repente, algumas atividades do dia a dia, que não demandam esforço, como subir uma escada, podem causar cansaço. Por isso, a recomendação é movimentar-se o máximo possível, ainda que dentro de casa.

“Parar subitamente a atividade física, causa uma perda de condicionamento cardiovascular, podendo ser um fator de aumento da pressão arterial, também influencia pelo nível de stress”, relembra o cardiologista Dr. Mauro Cosme.

Dores estranhas, pele seca, visão turva e até coração fraco: 5 efeitos ruins da quarentena no corpo e como prevenir

Segundo o cardiologista, um fator que pode também influenciar o sistema cardiovascular é a mudança nos hábitos alimentares, quando se aumenta a quantidade e piora da qualidade como: aumento da ingestão de sal e carnes vermelhas, com diminuição de vegetais e carnes brancas. O álcool em grandes quantidades é tóxico para todos os órgãos do corpo, e também para o coração, relembra.

Paladar aguçado

5 malefícios da quarentena no corpo e como evitá-los ao máximo

Comer em excesso alimentos prontos e industrializados aumentará a presença de aditivos estranhos no organismo, alguns até modificados quimicamente. A recomendação é preparar a própria comida a partir de alimentos frescos, conforme explica a nutricionista Juliana Rodrigues.

“Esse aumento no consumo de alimentos geralmente está ligado com a ansiedade que gera uma compulsão alimentar e normalmente essa compulsão se dá por alimentos altamente calóricos ou pelo consumo exacerbado”, explica a profissional.

Para quem vinha praticando atividades físicas regulares, a parada repentina certamente levará a um acúmulo rápido de gordura no corpo. Se isso estiver associado a uma alimentação inapropriada, muito calórica, o acúmulo será ainda maior.

“Uma dica para tentar burlar esses efeitos é tentar, mesmo em casa, manter uma rotina como acordar num horário certo de referência mais cedo fazer as refeições nos horários certos e mantendo uma quantidade adequada, não ter em casa alimentos que possam desencadear consumo excessivo como doces, biscoitos, chocolates..manter uma rotina mesmo em casa de exercícios, não pensar exageradamente em comida, evitar ver ou falar de comidas e receitas”, pontua Juliana Rodrigues.

Aumentar o consumo de alimentos que dão saciedade e geram bem estar como alimentos ricos com fibras, proteínas magras, evitar açúcar e excesso de carboidratos brancos é a principal estratégia.

Pele ressecada

Dores estranhas, pele seca, visão turva e até coração fraco: 5 efeitos ruins da quarentena no corpo e como prevenir

O uso de álcool em gel em excesso pode causar complicações à pele gerando micro rachaduras e pode evoluir para ferimentos. A dermatologista Tassiana Espósito indica que sejam procurados álcool gel com glicerina e também associar ao uso de hidratantes.

“Algumas complicações podem ocorrer, pelo uso continuo do álcool gel, pois este produto remove a camada de gordura da pele, podendo assim, gerar quadros de dermatite, principalmente nas mãos, com vermelhidão, descamação e coceira”, ressalta.

Segundo a Dra. Tassiana Espósito a falta de exposição ao sol na fase curta da quarentena não é prejudicial e diretamente relacionado à falta de vitamina D no corpo. Por sua vez, a exposição à luz visível das telas podem influenciar na piora das manchas da pele e a utilização do protetor solar deve ser feita mesmo dentro de casa.

“Os cuidados devem ser redobrados, porque além disso, o stress de permanecer em casa pode causar lesões na pele como acne, dermatite, queda de cabelo. Existem muitas doenças dermatológicas ligadas à reclusão devido ao stress”, finaliza.

Veja também

Maior evento de observação de pássaros do mundo catalogou centenas de espécies em MS em 24 horas

Últimas notícias