MidiaMAIS / Comportamento

Sem vendedor, ‘pague e leve’ de chinelos quer testar honestidade na Câmara

Estande com venda de chinelos ficará por uma semana na Casa de Leis

Guilherme Cavalcante Publicado em 12/12/2017, às 13h27

None

Estande com venda de chinelos ficará por uma semana na Casa de Leis

Movimentação diferente na Câmara Municipal de Campo Grande, na manhã desta terça-feira (12). Logo na entrada do prédio, um estande disponibiliza chinelos a quem se interessar, de diferentes cores, modelos e numerações, custando apenas R$ 30. O lance, porém, é que no estande não há vendedor: a comprar é realizada toda no estilo ‘self-service’ e requer que o próprio interessado escolha a peça, deposite o valor devido e retire seu troco, se necessário. Como não há fiscalização (e nem câmera escondida ou qualquer tipo de pegadinha) portanto, o sucesso do negócio vai depender necessariamente da honestidade dos clientes.

Por trás da iniciativa, está o empresário Marcos Cezar Salles, de 33 anos, que há dois anos comanda a marca Chinelos Pantaneiras. Há três meses, Salles iniciou o projeto ‘Confia Brasil’, no qual tem objetivo de testar a honestidade dos campo-grandenses por meio de seu ‘pague e leve’.

Segundo ele, até agora a iniciativa tem dado certo: no período em que esteve numa loja no centro da cidade, o projeto vendeu 25 pares de calçados e não houve casos de desonestidade, já que o pagamento e a retirada de troco estavam corretos. Na Praça Ari Coelho, apesar da venda ter sido menor, também não houve nenhuma fraude no caixa ou roubo de peças. Agora, em tempos de descrença nos políticos, é a vez da honestidade na Câmara dos Vereadores ser testada.

Marcos Cezar Salles quer testar honestidade dos campo-grandenses (Cleber Gellio/Midiamax)

“Eu não vou ficar mais pobre se roubarem o chinelo ou o troco. Não é essa a questão. Mas, a pessoa que for desonesta vai se deparar com a própria desonestidade. Esse será um problema dela”, explica o empresário, que defende que estamos num momento em que a honestidade das pessoas precisa ser medida e, também, estimulada.

Iniciativas do tipo ‘pague e leve’ não são novidade. Com cunho educativo, a ideia é sempre mostrar que as pessoas podem ser corretas em operações comerciais sem fiscalização. Porém, esta a primeira vez em Campo Grande que a honestidade dos frequentadores da Casa de Leis – composta pelos vereadores, seus assessores, servidores e pela própria população – será testada, ainda mais quando o espaço foi cenário de tantos escândalos nos últimos anos.

Honestidade em pauta

A chegada do estande na Câmara Municipal, a propósito, foi proporcionada por meio de uma parceria com o vereador André Salineiro (PSDB). “Queremos mostrar que podemos fazer diferente em uma Casa de Leis, hoje num cenário político tão mal visto. A corrupção não está só no meio político, ela passa pela empresa, no setor privado. E no setor público tem pessoas boas e desonestas e acreditamos nessas pessoas boas, honestas”, afirmou o vereador à reportagem.

Sem vendedor, 'pague e leve' de chinelos quer testar honestidade na Câmara

Em tempo: Salles mantém um perfil no Instagram (@confiabrasil) no qual ele compartilha suas impressões com o projeto. Mas, será dessa vez que ele vai se decepcionar com o resultado da experiência?

Jornal Midiamax