MidiaMAIS / Cinema

Nova política ‘sem assédio’ será adotada por ‘Mulher-Maravilha 2’

Medidas foram divulgadas por produtores

Daiane Libero Publicado em 22/01/2018, às 20h33

None

Medidas foram divulgadas por produtores

A sequência de Mulher-Maravilha será a primeira produção cinematográfica a adotar oficialmente novas medidas contra o assédio sexual, de acordo com anúncio dos presidentes do Sindicato dos Produtores de Hollywood (PGA) no último sábado (20), durante o PGA Awards.

Intitulado de PGA Anti-Sexual Harassment Guidelines, a organização tem trabalhado nos últimos três meses para que produtores, elenco e todos os membros de uma equipe de filmagem possam reconhecer e combater o assédio dentro e fora dos sets de gravação.

Nova política 'sem assédio' será adotada por 'Mulher-Maravilha 2'

“O assédio sexual não pode mais ser tolerado em nossa indústria ou nas fileiras dos membros da Producers Guild. Estamos em um momento de transição em nossa sociedade, na qual estamos revendo nossos comportamentos no local de trabalho e além. Produtores possuem autoridade tanto dentro quanto fora do set e podem providenciar um uma liderança-chave na criação e manutenção de ambientes de trabalho que se baseiem no respeito mútuo”, declararam os presidentes da PGA, Gary Lucchesi e Lori McCreary. 

Os primeiros casos de assédio sexual na indústria a ganharem força foram as do produtor Harvey Weinstein e do ator Kevin Spacey. Diversos outros nomes foram acusados, como o do ator James Franco e Dan Harmon, criador de Rick And Morty. Casos mais antigos envolvendo Woody Allen, Dustin Hoffman, Bill Cosby e Roman Polanski também vieram à público.

Um novo passo será dado em Mulher-Maravilha 2, sob direção de Patty Jenkins uma vez mais. O filme tem sua estreia marcada para o dia 13 de dezembro de 2019.

Jornal Midiamax