Vizinha da avó, a estudante de engenharia civil, Lohane Thais Nunes da Silva, de 21 anos, a encontra diariamente, no bairro Santa Luzia, em Campo Grande. Quando não está na cozinha, fazendo aquela comidinha especial, D. Silvina Soares fica na sala fazendo crochê e assistindo televisão. E foi presenciando estes momentos – e sempre ligadinha na internet – que a neta criou uma engenhoca e assim facilitou a vida da aposentada.

“Eu usei os conhecimentos que estou aprendendo da parte de encanamento, das aulas de Hidráulica e Ciências e teorias dos materiais, que antes poderia até dizer que eram um pouco chatas. Mas, peguei o que aprendi e aí assisti um vídeo na internet, que ensina a fazer este objeto justamente para as crocheteiras. E deu certo, ela anda com ele pela casa toda”, contou ao MidiaMAIS a estudante.

(Graziela Rezende/Jornal Midiamax)

Cursando o terceiro semestre e trabalhando ao lado do pai, em uma loja de materiais de construção, Lohane disse que o custo ficou em torno de R$ 30 a R$ 40.

“Eu falei para ela que ia fazer um suporte da linha e ela falou que, se eu fizesse, ia gostar muito. E já tinha percebido que minha vó ficava cansada de ter que puxar a linha tempo todo e, às vezes, ainda embolava e ela ficava chateada, então, foi bem legal que ela ficou feliz”, contou.

Veja aqui o perfil que a estudante se inspirou para fazer a engenhoca: