Autor de best-sellers, Paulo Vieira, que é palestrante, PHD e mestre em mental coach pela FCU (Florida Christian University), chegou a Campo Grande nessa quarta-feira (3). Acompanhado da esposa, foi até a sua escola de negócios Febracis, no bairro Carandá Bosque, atendendo à imprensa em seguida e depois recepcionando alunos e convidados para um jantar, no mesmo local. Na ocasião, ressaltou que está investindo fortemente no agro e pretende ensinar modelo de gestão a quem começou e cresceu no ‘boom do agro’, em Mato Grosso do Sul.

“A região centro-oeste é muito forte no agro e nós temos nos fortalecido e também estamos fortalecendo o agro. Já estamos no norte do país, no sul do país e também estamos presentes aqui no centro-oeste. Aliado a isso, já somos a maior escola de negócios do Brasil, então, já somos consagrados nisto, além das unidades que mantemos em Angola, Portugal e nos Estados Unidos, então, a intenção é fazermos uma parceria muito grande com empresas de Campo Grande, sempre muito focado no agro”, disse Paulo Vieira.

Segundo o mental coach, muitos alunos são do agro e continuam aderindo cada vez mais ao método. “São pessoas que começaram, cresceram no ‘boom do agro’, mas, nem sempre têm modelos de gestão, nem sempre têm um modelo empreendedor forte e nós temos observado isso”, argumentou.

Banalização e popularização do coach

Questionado sobre a popularização e o movimento dos coaches em todo o país, o que também se alastrou no Estado, Paulo Vieira fala em banalização. “É óbvio que chateia e impacta o trabalho que fazemos há anos. Harvard ensina coach, Columbia ensina coach, Oxford, Cambridge, as maiores do mundo ensinam coach. E hoje as grandes faculdades do Brasil, os grandes centros educacionais do Brasil, os grandes fundos de investimento de educação do Brasil, todos estes que possuem MBS continuam fortalecendo a formação em coach, porque respondem a essa grade, assim como no exterior”, disse.

No entanto, por conta de uma minoria, Paulo diz que todos são “colocados no mesmo saco”. “No Brasil, equivocadamente, chamam todos que vão ao palco de coach, mas, isso não é verdade. O termo técnico, em inglês, aliás, não é nem de um treinador. Este é um trainer, ou seja, o termo coach é técnico. E nós trabalhamos o mental, existe uma formação, técnica e método. E nessa confusão chamam todos assim. No Brasil, banalizaram o termo e se é alguém que faz uma besteira, aí que é coach mesmo. No entanto, o que nós temos vai muito além, é uma ferramenta poderosa e que dá resultados”, argumentou.

Imersão nesta quinta-feira em Campo Grande

Sobre a imersão O Poder da Ação, em que Paulo Vieira ministrará, a partir das 9h, ao lado da esposa Camila Vieira, também autora de bestsellers, ambos disseram que todos – ou ao menos a maioria – sairão com “comportamentos novos”. O evento ocorre no Bosque Expo, dentro do Shopping Bosque dos Ipês, na saída para Cuiabá.

“É o resultado de uma imersão de 12 horas, em que pretendemos mudar o processamento cognitivo, uma nova maneira de pensar que é a nossa expertise, ou seja, acabar com a procrastinação, sair da zona de conforto, estabelecer foco e não se distrair com as distrações que a vida nos traz. É agir na direção certa”, finalizou.