A modelo, influenciadora e ex-Power Couple Brasil, Lu Andrade, morreu nesta terça-feira (7), em São Paulo, após passar por uma cirurgia de lipoaspiração. Em nota, o São Luiz, onde ela estava internada, informou que a causa da morte foi embolia pulmonar maciça.

“O Hospital São Luiz do Itaim informa que a paciente Luana Andrade foi internada, acompanhada por seus familiares, na tarde desta segunda-feira (6/11) na unidade para procedimento de lipoaspiração, realizado por cirurgião e anestesista particulares contratados pela família. Transcorridas aproximadamente duas horas e meia de cirurgia, a paciente apresentou intercorrência abrupta respiratória e teve uma parada cardíaca, sendo imediatamente reanimada pela equipe.

A cirurgia foi interrompida e a paciente, submetida a exames que constataram quadro de trombose maciça. Foi transferida para a UTI onde foi submetida a tratamento medicamentoso e hemodinâmico. Mesmo com todos os esforços da equipe do hospital, ela evoluiu desfavoravelmente e morreu por volta de 5h30 de hoje. A causa da morte foi embolia pulmonar maciça. O Hospital São Luiz do Itaim lamenta profundamente o óbito da paciente e se solidariza com a família”.

O que é embolia pulmonar maciça?

Para explicar a condição que ocasionou a morte da modelo, conversamos com Dr. Marcelo Santana Silveira, presidente do Sinmed-MS (Sindicato dos Médicos do Mato Grosso do Sul).

Para entender sobre a embolia pulmonar, é preciso levar em consideração que o pulmão é irrigado pelo sangue através das artérias pulmonares. Quando este sangue chega dentro do pulmão, ele está pobre em oxigênio e é neste momento que ele será oxigenado para retornar ao corpo e ser distribuído para todas as regiões.

A embolia acontece justamente quando há formação de trombos e estes coágulos obstruem algumas dessas artérias pulmonares. No caso da embolia pulmonar maciça, a condição ocorre quando a artéria pulmonar principal é obstruída.

E quais são os sintomas?

Os sintomas da embolia pulmonar são principalmente relacionados à parte respiratória. O paciente pode sentir fortes dores no peito ao respirar e até mesmo apresentar quadros de falta de ar. Isso pode acontecer principalmente de forma súbita, fazendo o paciente descompensar rapidamente.

Outros sintomas também podem ser observados, como: palidez, ansiedade, aceleração dos batimentos cardíacos, tosse seca, peles e unhas azuladas e febre.

Quais são as causas da embolia pulmonar?

São fatores de risco para a embolia pulmonar a questão genética, cirurgias extensas, a mobilidade do paciente durante o pós-operatório, traumas, câncer, e pós-parto, varizes, obesidade, tabagismo, entre outros.

Tratamento

O tratamento da embolia pulmonar, quando não é uma condição extensa, pode ser realizado por meio de anticoagulantes, ou seja, através de medicamentos. Em alguns casos, graças à tecnologia, podem ser empregados técnicas da cirurgia vascular para tratamentos dos trombos.

Qual a relação de uma cirurgia com a embolia pulmonar?

O procedimento cirúrgico mexe com a imunologia do paciente e normalmente haverá uma inflamação, já que não é algo natural, é uma situação externa agindo no organismo.

Esta resposta inflamatória natural do corpo pode predispor à formação de trombos e uma resposta e coagulação ampliada.

Nos casos de lipoaspiração, que é um procedimento extenso, o paciente precisa ter muito cuidado durante o pós-operatório. É preciso levar em consideração também a diminuição da mobilidade, o que expõe o paciente a desenvolver eventos trombóticos.