É impressionante o poder que algumas músicas têm de marcar vidas inteiras e não sair da cabeça e da boca das pessoas, não é?

Agora que as produções e shows musicais que alimentam o mercado artístico tomam fôlego – após sérias dificuldades impostas pela covid-19 – dois são os principais movimentos na área: o de novos músicos emergindo e o de reverência aos mais experientes. E Mato Grosso do Sul tem nomes de destaque em ambos.

Dia 15 de janeiro é o Dia do Compositor, e o MidiaMAIS preparou uma lista para apresentar aqueles que estão por trás da criação de grandes canções.

Confira:

Helena Meirelles

A lista precisa começar pela violeira, cantora e compositora que une talento e técnica únicos. Quando eleita uma das melhores instrumentistas do mundo pela Revista Guitar Play, apareceu ao lado de nomes como Jimi Hendrix, Eric Clapton, Keith Richards e B.B. King. Desde a tem grande afinidade com a viola, mas teve que desenvolver isso às escondidas, por esbarrar na imposição machista do casamento e dedicação total ao lar. Tataraneta de indígena e neta de paraguaio, nasceu em em 1924 e faleceu em 2005, aos 81 anos.

Escute aqui uma das composições dela, “Araponga”.

Maurício Mello

Começou a carreira musical tocando em bares de Campo Grande na década de 90, e hoje é nome carimbado na ficha autoral de vários hits do sertanejo universitário, além de ser produtor musical. Algumas das composições que tiveram sua participação são “Enquanto Houver Razões” e “Louca De Saudade” (Jorge e Mateus), “Suíte 14 , Malbec e Com Você” (Henrique e Diego) e “Chora Chora” (Gustavo Lima).

Escute aqui “Enquanto Houver Razões”.

Dupla Patrícia e Adriana

De Campo Grande, as irmãs Patrícia Maria Paredes de Souza e Adriana Regina Paredes de Souza, são as integrantes da dupla de sertanejo que está entre as mais adoradas entre os fãs do gênero em Mato Grosso do Sul. Afinadíssimas, cantam juntas desde 1997 e, em 2022, assinaram contrato com a gravadora Som Livre.

Uma das últimas composições que Adriana participou como autora e estourou é “Se Olha no Espelho”, interpretada pela dupla Maiara e Maraísa e pelo cantor Cristiano Araújo. Ouça aqui.

Dupla Délio e Delinha

Dupla baluarte de Mato Grosso do Sul, conhecida como “casal de onças de Mato Grosso”, compôs canções que ficaram marcadas na história do rasqueado, o chamamé e da guarânia. “Criador de gado bom” e “Prazer de fazendeiro” estão entre as mais tocadas. É ouvir para mergulhar na dos bailes do Estado. Délio morreu em 2010 e, Delinha, em 2022.

Escute aqui “Prazer de fazendeiro”.

Marina Peralta

Natural de Campo Grande, Marina Peralta é compositora e cantora que circula desde 2014 entre diversos estados. Faz parte dos artistas em ascensão no mercado fonográfico brasileiro, compondo reggae, rap e se movendo também pela MPB. Suas letras falam de temas como luta por igualdade social, situação dos povos indígenas, empoderamento feminino, maternidade e espiritualidade.

Ouça “Só Agradece”, que revelou a artista e foi regravada pelo grupo Planta e Raiz.

Geraldo Roca

Parceiro de Paulo Simões na composição de “Trem do Pantanal”, interpretada por Almir Sater, Geraldo escreveu outras muitas canções que fazem parte da popular do Centro-Oeste brasileiro. Nasceu no Rio de Janeiro, mas morou em Mato Grosso do Sul em boa parte da vida. Geraldo morreu em 2015, aos 61 anos.

Ouça aqui “Uma pra estrada”, outra composição clássica de Roca.