A Feincartes (Feira Internacional de Artesanato e Decoração) retorna a Campo Grande, após 12 anos, com 20 mil itens de dez países ao redor do mundo e mais 12 estados brasileiros. Após o período da pandemia da Covid-19, os expositores voltam a se reunir e oferecer os mais diferentes produtos, que vão desde temperos a sapatos bordados que mais parecem joias.

A feira inicia nesta sexta-feira (30) e vai se estender até o dia 9 de outubro, no Bosque Expo, espaço de eventos do Shopping Bosque dos Ipês, na região norte da cidade, das 15h às 22h.

Serão ao todo 90 estandes com produtos da Turquia, Índia, Marrocos, Senegal, Paquistão, Chile, Equador, Peru, Colômbia e Bolívia. A organizadora da Feincartes, Maria Mathias, falou que é um desafio reunir tanta gente após o período da pandemia, porém, todos estão “firmes e prontos”.

Leia também:

Quem acha que feira é só lugar de comer pastel, nem sonha o quanto alavanca nossa cultura

No caso da Turquia, por exemplo, três estandes vão mostrar tapetes, porcelanas pintadas à mão, louças, acessório, toalhas de mesa, jogos de camas bordados da região da Capadócia, doces, temperos e perfumes em frascos coloridos feitos em vidro soprado, que são um show à parte. Um dos estandes inclusive tem 48 m² repleto de produtos.

Já o Senegal traz artesanatos como acessórios, esculturas e roupas. Um dos destaques dos expositores é o Djembê, um instrumento musical tradicional no país e que chama a atenção dos visitantes. No entanto, o estande da Índia é um dos mais esperados, já que encanta com seus acessórios e itens de decoração. Além disso, móveis em marchetaria e tapetes indianos também estarão à venda.

O Paquistão traz calçados femininos bordados com pedrarias, que se assemelham a joias, e o Marrocos marca presença com doces com receita típica com muitas tâmaras, amêndoas e redução de açúcar.

No caso dos hermanos, da América do Sul, haverá estandes do Peru, Chile, Equador, Colômbia e Bolívia, sendo possível encontrar uma grande variedade de acessórios, artesanatos típicos e itens especiais como os chapéus do Equador e as rosas de madeira chilenas.

Do Brasil, serão 12 expositores com produtos do Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Tocantins e até do Mato Grosso do Sul.

Quem for ao local ainda poderá experimentar doces tradicionais, com receitas marroquinas, queijos, vinhos, salames, castanhas e muito mais. A programação também inclui apresentações de música e danças árabes, ciganas, japonesas, bolivianas e outras. Para quem tem criança, haverá espaço kids, com monitoras.

A entrada custa R$ 8. Estudantes, professores e pessoas com mais de 60 anos pagam meia entrada. Crianças até 12 anos não pagam entrada.