Jornal Midiamax que obras retratam um dos momentos mais importantes da história do Brasil e de Mato Grosso do Sul.

“É uma trilogia que fala da minha experiência com os indígenas e das estórias de tesouros enterrados, da Guerra do ”, afirmou. A lenda dos tesouros enterrados durante o conflito é bem conhecido na região e já foi até assunto aqui no Midiamax, no Dia do Folclore.

Na época, o pesquisador Andriolli de Britesda Costa afirmou ser uma das histórias mais conhecidas na fronteira.

“Desde cedo, isso chamou muita atenção das pessoas lá porque os tesouros enterrados são tão marcantes no imaginário paraguaio, que pessoas morrem todos os meses — e eu percebi isso fazendo a minha pesquisa — procurando tesouros protegidos por espíritos. Tesouros, esses, que datam da época da guerra contra o Paraguai. Na lenda, se você tiver o coração puro, seguir uma cena ritualística, você consegue retirar esse ouro encantado e ele será seu. E isso move tanto as pessoas, que tem gente que vive e morre por causa disso”, falou o pesquisador em agosto.

Agora, a lenda dos tesouros enterrados da Guerra do Paraguai será destaque no festival de cinema. “Em La Plata Yvyguy – Enterros e Guardados”(2016), o busca retratar a vida dessas famílias que guardavam seus bens antes de partirem para a batalha. Já a obra “A Menina da Estrada” (2018) é baseada nos manuscritos de Alvarenga de quando viveu entre os Kadiwéu, Kinikinanau, na Aldeia São João, entre 2002 e 2004.

Por fim, “O Guardado” (2009) mostra um homem que acaba de se mudar para uma pequena aldeia em Mato Grosso do Sul, quando vive uma experiência mística que assombra a área. As três obras, comandadas por Paulo Alvarenga e Marcelo Felipe Sampaio, vão passar no Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo. Este, por final, chega a sua 16ª edição em 2021 e acontece entre os dias 10 e 17 de dezembro com programação híbrida, sendo uma parte disponibilizada online e outra que será realizada Circuito Spcine em São Paulo.

“Estar nesse grande festival com três produções totalmente independentes aqui de Bonito é uma alegria imensa e marca minha trajetória como produtor Cultural aqui em Mato Grosso do Sul”, disse Paulo.