MidiaMAIS

Para dar visibilidade a artistas negros e periféricos, Cufa realiza 2º festival que termina neste domingo

Com objetivos que vão desde dar visibilidade a artistas negros e periféricos ao mapeamento deles, a Cufa (Central Única das Favelas) realiza até este domingo (6) a segunda edição do evento Festival Favela Literária. Entretanto, devido a pandemia da Covid-19, a quantidade de expositores diminuiu. A programação cultural inclui performances, declamação de poesias, exposição de […]

Danielle Errobidarte Publicado em 06/12/2020, às 15h56 - Atualizado às 16h01

Poesias impressas e escritas à mão são expostas em varais. (Foto: Wirlan Duka/ Cufa)
Poesias impressas e escritas à mão são expostas em varais. (Foto: Wirlan Duka/ Cufa) - Poesias impressas e escritas à mão são expostas em varais. (Foto: Wirlan Duka/ Cufa)

Com objetivos que vão desde dar visibilidade a artistas negros e periféricos ao mapeamento deles, a Cufa (Central Única das Favelas) realiza até este domingo (6) a segunda edição do evento Festival Favela Literária. Entretanto, devido a pandemia da Covid-19, a quantidade de expositores diminuiu. A programação cultural inclui performances, declamação de poesias, exposição de autores e apresentações.

A experiência dos artistas e o gênero literário escolhido não é critério para participação, conforme explicou a coordenadora do evento, Lívia Lopes. “Se eles têm obras lançadas ou não, não vem ao caso. O que queremos realmente é mostrar suas obras, sejam elas escritas manualmente, impressas, lançadas em livros com capa ou encadernado, não importa, sejam poesia, ficção, autoajuda ou romance”.

Um dos objetivos é, também, descobrir artistas que estejam dentro das favelas da Capital e dos outros 26 estados nos quais a Cufa está presente. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados em maio de 2020, Campo Grande possui 38 favelas, sendo as mais populosas a da Homex, Samambaia e Mandela.

Para dar visibilidade a artistas negros e periféricos, Cufa realiza 2º festival que termina neste domingo
Alguns artistas participam pela primeira vez. (Foto: Wirlan Duka/ Cufa)

Por causa da pandemia de coronavírus, a segunda edição conta com número menor de artistas. Para os visitantes, é obrigatório ir de máscara e manter distanciamento, inclusive dos trabalhos expostos.

O evento ocorre no espaço Larica’s Cultural, localizado na Rua Antônio Maria Coelho, número 1663, com início às 18h. A entrada custa R$ 5 mais um quilo de alimento não perecível, ou R$ 10 sem o alimento. O dinheiro arrecadado já tem destino certo, será revertido para campanha de natal a ser realizada na cidade. Em paralelo às atividades com horário marcado, artistas expõem seus trabalhos durante todo o período de duração do evento.

Confira a programação deste domingo:

Apresentação Marta Cel – 18h às 18h30

Apresentação Karla Coronel – 18h30 às 19h

Apresentação TGB – 19h às 20h

Host – Falar do evento – 20h às 20h10

Declamação – 20h10 às 20h15

Performance Luara – 20h15 às 20h25

Apresentação DJ Sorriso – 20h25 às 21h25

Performance Ariel – 21h25 às 21h35

GF e Shabba – 21h35

Para dar visibilidade a artistas negros e periféricos, Cufa realiza 2º festival que termina neste domingo
Junto a apresentações marcadas, exposições acontecem durante todo o período do evento. (Foto: Wirlan Duka/ Cufa)
Jornal Midiamax