Fazer o bem: Netos dão sequência ao legado solidário de Vó Creuza, vítima de Covid-19

Com ela não tinha tempo ruim, a Vó Creuza era daquelas vovós cheias de vida, personalidade forte, animada e que amava criança, sua felicidade era fazê-las felizes (e encher seus buchinhos). Em maio deste ano, por conta do terrível coronavírus, aos 83 anos, ela partiu, deixando saudades e bons exemplos a serem seguidos. Nascida em […]
| 23/06/2020
- 12:26
Fazer o bem: Netos dão sequência ao legado solidário de Vó Creuza, vítima de Covid-19
Neta e bisneto colocando a mão na massa, como a Vó Creuza (fotos: acervo pessoal) - Neta e bisneto colocando a mão na massa, como a Vó Creuza (fotos: acervo pessoal)

Com ela não tinha tempo ruim, a Vó Creuza era daquelas vovós cheias de vida, personalidade forte, animada e que amava criança, sua felicidade era fazê-las felizes (e encher seus buchinhos). Em maio deste ano, por conta do terrível coronavírus, aos 83 anos, ela partiu, deixando saudades e bons exemplos a serem seguidos.

Nascida em Porto Velho, RO, dona Creuza Caetano chegou ao Estado em 1975 e aqui fez sua história. Conhecida pelo amor que colocava em tudo que fazia, ela proporcionou muitos momentos inesquecíveis em família e também gostava de agitar o pessoal para arrecadar alimentos e fazer suas famosas festas juninas, de São Cosme e Damião, muitos natais, levando alegria e acalento para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Fazer o bem: Netos dão sequência ao legado solidário de Vó Creuza, vítima de Covid-19
Faceira: Vó Creuza nos preparativos da celebração do dia de São Cosme e Damião (fotoas: acervo pessoal)

Com seu jeito inquieto, Vó Creuza era um barato. Sem papas na língua, ela conseguia doações de todos os tipos e ainda reunia comitivas para ajudar nas entregas em comunidades.  Ela gostava de fartura, seu ponto forte era cozinhar para as pessoas, fazer marmitas e distribuir. Hoje, como ela não está mais entre nós, seus netos decidiram dar continuidade ao trabalho que ela realizava e com essa iniciativa surgiu o Projeto Vó Creuza, com a proposta de amparar e ajudar aqueles que precisam.

“A princípio, a ideia é continuar ajudando comunidades com doações de alimentos e marmitas, mas o objetivo é fazer o projeto crescer e no futuro criar dias de ações nas comunidades, como corte de cabelo, cursos, aulas de reforço e atividades que somam socialmente na vida das crianças”, revela Carol Lima, neta.

A primeira ação sem a presença de Vó Creuza será uma a ser realizada no próximo dia 27. “Estamos arrecadando alimentos, para fazer arroz carreteiro, e doces para distribuir na comunidade. Quem quiser ajudar é só entrar em contato no número 67 98469-0809”, explica.

Está prevista a distribuição de cerca de 160 a 200 marmitex em uma comunidade do bairro Los Angeles, em Campo Grande, mas os organizadores avisam “é só o começo!”. “Já fomos lá conhecer a comunidade e pudemos levar uma macarronada, café com leite pras crianças. Estamos arrecadando os alimentos”, avisa Carol.

Veja o que você pode doar:

Arroz, carne, mandioca, cebola, alho, tomate, repolho verde, embalagem para marmitex, sacolinhas para os doces, guloseimas em geral (para festa junina), refrigerantes “mini”, brinquedos ou roupas infantis, ou artigos decorativos de festa junina. Colabore com o que tiver!

Fazer o bem: Netos dão sequência ao legado solidário de Vó Creuza, vítima de Covid-19
As doações virarão marmitex deliciosos para comunidade (fotos: acervo pessoal)

Para saber mais sobre o Projeto Vó Creuza, acesse o @projetovocreuza. Lá tem todas as informações, caso queira contribuir com essa iniciativa!

Veja também

A banda punk paulistana, Cólera, toca em Campo Grande no próximo sábado (20) no Clube...

Últimas notícias