MidiaMAIS

Além de procissão e celebração, Corpus Christi tem atos de fé que poucos conhecem

O Corpus Christi é uma festa religiosa da Igreja Católica que tem por objetivo celebrar o mistério da eucaristia, o sacramento do corpo e do sangue de Jesus Cristo. Acontece sempre 60 dias depois do Domingo de Páscoa ou na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, em alusão à Quinta-feira Santa, quando Jesus instituiu o […]

Marcos Ermínio Publicado em 20/06/2019, às 14h40 - Atualizado às 14h41

(Foto: Marcos Ermínio | Arquivo pessoal)
(Foto: Marcos Ermínio | Arquivo pessoal) - (Foto: Marcos Ermínio | Arquivo pessoal)

O Corpus Christi é uma festa religiosa da Igreja Católica que tem por objetivo celebrar o mistério da eucaristia, o sacramento do corpo e do sangue de Jesus Cristo. Acontece sempre 60 dias depois do Domingo de Páscoa ou na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, em alusão à Quinta-feira Santa, quando Jesus instituiu o sacramento da eucaristia.

Em Campo Grande, são ao todo 48 paróquias que estão participando da comemoração católica, que iníciou às 7h desta quinta-feira (20). O arcebispo metropolitano Dom Dimas Lara Barbosa celebra missa campal às 15h e percorre cerca de um quilômetro, descendo a Rua 13 de maio até a Avenida Fernando Corrêa da Costa.

Além de procissão e celebração, Corpus Christi tem atos de fé que poucos conhecem
Mamães receberam visita de sacerdotes e do Santíssimo Sacramento (Foto: Marcos Ermínio | Arquivo pessoal)

Mas há uma programação sacerdotal no dia de Corpus Christi que poucos conhece: na manhã de hoje (20), 23 instituições foram visitadas por sacerdotes, incluindo 17 hospitais, 3 presídios e 3 Unidades Educacionais de Internação (UNEIs).

A Santa Casa, o Hospital Regional e o Presídio de Segurança Máxima são alguns dos lugares que receberam as visitas. Pároco do Santuário São Judas Tadeu, Padre Laércio Chebelo esteve na Maternidade Cândido Mariano durante toda a manhã.

Na visita, o Santíssimo Sacramento percorria o caminho entre os leitos, onde repousavam as futuras mãe e aquelas que tinham recém dado à luz. Era, também, o primeiro contato dos bebês com o Sacramento, em ato sacerdotal que também foi acompanhado de uma equipe com Diácono, Ministros da Eucaristias e a Enfemeira Chefe da Maternidade Thays Souza, alegrando e confortando os corações com o que há de mais belo do amor de Jesus que está vivo e permanece entre nós.

Padre Laércio Chebelo destacou a beleza que reside no momento de fé e inspiração. “As tristezas são fortes na vida de uma mãe cujo filho está na UTI ou da mãe que sofreu um aborto natural. Tudo pertence a Deus, mas foi um momento lindo de fé e esperança”, concluiu.

Jornal Midiamax