MidiaMAIS

Livro ‘Malacabado’ fala sobre trajetória de jornalista de MS como cadeirante

Jairo Marques é hoje repórter da Folha de São Paulo

Daiane Libero Publicado em 28/06/2016, às 13h59

None
eduardoanizelli.jpg

Jairo Marques é hoje repórter da Folha de São Paulo

Obstinação e resiliência são palavras que podem definir o jornalista Jairo Marques, atualmente repórter e colunista da Folha de São Paulo, com tranquilidade. Natural de Três Lagoas – a 334 km de Campo Grande, ele ficou paraplégico (ou "malacabado", como ele mesmo brinca "a sério"), ainda na infância, mas com o apoio da mãe foi transpondo cada obstáculo, até chegar no jornalismo, uma de suas paixões. O resultado dessa trajetória que seguiu até um dos maiores grupos de comunicação do Brasil virou o livro "Malacabado", que será lançado nesta terça-feira (28) pela editora Três Estrelas. 

Jairo também mantém um blog sobre o assunto e sobre a importância da inclusão no Brasil há muitos anos no próprio portal do jornal. O resultado de tantos anos de escritas é, segundo o autor, "reforçar a necessidade de as pessoas verem um cadeirante, um cego, um surdo de outra maneira", afirma.  Tanto em seu blog quanto em seu livro, o jornalista se coloca como personagem de sua própria história, expondo pontos de vista pessoais sobre tudo que ele já vivenciou. 

Ele também questiona a imagem de "inválido" que muitas vezes é imposta à pessoas com deficiências variadas. Com isso, ele relata casos íntimos, mostra seus defeitos e muitas histórias que pôde vivenciar. "Eu precisava colocar elementos de uma vida comum no livro. Não queria que o leitor terminasse a obra achando que sou um herói, um exemplo, mas que me interpretasse como um cara que quer apenas oportunidades iguais para mim e para 45 milhões de pessoas com deficiência no Brasil", explicou o jornalista em entrevista ao MidiaMAIS.

Jairo e sua filha Elis / Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress

Ele não vê essa exposição como algo "novo", já que no blog dividia experiências pessoais. "A exposição de casos íntimos eu faço já há vários anos. Os leitores do meu blog mais cativos sabe que já dormi caído no chão, após levar um capote, bêbado, da  cadeira no banheiro… sabem por onde fui, por ondei deixei de ir", analisa Jairo. O livro demorou dois anos para ficar pronto, segundo Jairo, "entre escrever, rever, revisar, chorar as pitangas", brinca. 

Prata da casa

Livro 'Malacabado' fala sobre trajetória de jornalista de MS como cadeiranteJairo Marques nunca deixou de ter um carinho especial pelo Mato Grosso do Sul, e sua mãe, Marli, lutou muito nos idos dos anos de 1970 para que o filho tivesse as mesmas oportunidades que todas as outras crianças. Hoje, aos 41 anos, ele sabe que ela jamais deixou de batalhar por ele. Hoje, Jairo também é pai da pequena Elis. 

Sobre o lançamento aqui na Capital, ele diz que gostaria muito de voltar. "Um grupo de amigos está se organizando para viabilizar um lançamento em Campo Grande. Há chances grandes de rolar, mas ainda não tenho uma data concreta. Tenho laços apertadíssimos aqui em MS!", enfatiza o jornalista. "Estudei na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), 'morava por aqueles corredores' (risos). Grandes profissionais de comunicação do Estado estão no meu roll de amigos, o que muito me orgulha", relembra. 

"Malacabado" será lançado hoje, das 18h30 às 21h30, na Livraria Martins Fontes (av. Paulista, 509). Na quinta-feira (30), o lançamento será na Flip (Festa Literária Internacional de Paraty). O autor participa, ao lado do escritor Alexandre Vidal Porto, da mesa Sociedade da Intolerância, às 10h, na Casa Folha.

Jornal Midiamax