Geral

VÍDEO: caminhoneiros reclamam de blefe do governo e iniciam nova paralisação

Paralisação começou antes do programado, que era meio-dia, e fecha vários trechos

Arlindo Florentino Publicado em 26/02/2015, às 13h26

None
img-20150224-wa0021.jpg

Paralisação começou antes do programado, que era meio-dia, e fecha vários trechos

Revoltados com as informações de que o Governo Federal havia definido um acordo beneficiando a categoria, os caminhoneiros de todo o País, inclusive os de Mato Grosso do Sul, prometem novos bloqueios a partir desta quinta-feira (26). A paralisação que estava programada para meio-dia começou com uma hora de antecedência. E fecha as saídas de São Paulo, Sidrolândia, Terenos, Cuiabá e até a via da Avenida Três Barras, que dava um acesso mais adiante na BR-163.

De acordo com o empresário Roberto Sinai, que se intitula voluntário, mas que é um dos coordenadores do movimento em Mato Grosso do Sul, a partir do meio-dia vários pontos do Estado estarão novamente bloqueados. Desta vez, prossegue, sem prazo definido para o término da manifestação.

“O governo federal blefou. Não houve acordo nenhum e, na noite de quarta-feira (25), quando foi anunciado que houve um encontro entre a nossa coordenação geral e os representantes do governo, isto não aconteceu. Agora vai ser pra valer”, afirma Sinai.

Negociação

Segundo o que foi anunciado na noite de quarta-feira, para chegar a um acordo com a categoria, o governo se comprometeu a sancionar sem vetos a Lei dos Caminhoneiros, aprovada pela Câmara no dia 11, e a não reajustar o preço do diesel nos próximos seis meses.

O anúncio foi feito pelo secretário-geral da Presidência, ministro Miguel Rossetto, após reunião que teria acontecido com representantes dos caminhoneiros na tarde de quarta-feira em Brasília. O ministro disse ainda que empresários e motoristas elaborarão uma tabela para definir os preços do frete.

Em contrapartida, o governo exige a liberação imediata de todas as estradas com bloqueio no País. Em uma semana de mobilização nacional, já foram registradas paralisações de caminhoneiros em 14 Estados. 

Jornal Midiamax