O ministério afirma que houve aumento de 57%, já a Sesau diz que diminuiu em 67,4%

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) contestou os dados divulgados pelo Ministério da Saúde sobre a incidência da dengue em Campo Grande na comparação entre os primeiros meses de 2014 e de 2015. De acordo com a Sesau, neste ano, os casos notificados da dengue na Capital diminuíram, por outro lado, a o ministério afirmou que os casos aumentaram.

No documento divulgado pelo ministério, aparece um aumento de 57% somente para Campo Grande. Todavia, na nota da Sesau, em 2014 foram registrados 1.303, por outro lado, em 2015, só constam 425 novos casos da doença para o mesmo período – janeiro e fevereiro. Isso representa uma diminuição de 67,4%.

De acordo com a assessoria de imprensa da Sesau, não foi possível identificar qual foi o critério usado nesse aumento de casos de dengue em Campo Grande.

A reportagem entrou em contato com o Ministério da Saúde a fim de comparar os números divulgados, mas conseguiu contato com o responsável pelo estudo.

Primeiro caso de morte no MS

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) confirmou, nesta quarta-feira (11), a primeira morte por dengue no Estado em 2015. A vítima, uma menina de 12 anos, morreu no dia 21 de janeiro, em Corumbá, a 420 quilômetros da Capital. A paciente havia dado entrada com suspeita de meningite, motivo dado até então pela morte da adolescente. Entretanto, resultado de exame de sangue nesta semana comprovou que a morte foi causada pela dengue. Mato Grosso do Sul registrou quatro óbitos causados pela doença em 2014.