Geral

Mulher esquece mel aberto e casa é invadida por enxame em Campo Grande

A moradora cuidava de cinco crianças quando se assustou com o enxame

Midiamax Publicado em 22/02/2015, às 15h27

None
capa_1.jpg

A moradora cuidava de cinco crianças quando se assustou com o enxame

A aposentada Rosa Lúcia Vieira, de 28 anos, provocou um alvoroço no Bairro Noroeste, região leste de Campo Grande, ao deixar um pote de mel aberto. O fato ocorreu na manhã deste domingo (22) e o local teve que ficar isolado por algumas horas. Equipes do Corpo de Bombeiros estiveram por lá e tentaram controlar a situação.

Rosa Lúcia contou à equipe do Jornal Midiamax que, o marido levou para a casa um pote com mel e favos. “Ele trouxe de uma fazenda ontem à noite e eu deixei em cima da pia, achei que não tinha problema nenhum”, explica.

O pote ficou aberto durante a noite toda e cheiro chamou a atenção das abelhas. Na manhã de hoje, a mulher estava acompanhada de cinco crianças, filhos de detentos. “As mães vem visitar os maridos, que estão no presídio, e acabam deixando as crianças comigo, porque lá elas não podem entrar e muitas vezes, estas mães não têm onde ou com quem deixá-las”, relata a moradora.

A aposentada recorda que estava assistindo um filme com as crianças no quarto, quando ouviu um barulho. “Fui ver o que era. Quando cheguei à cozinha, o local já estava infestado de abelhas. A única coisa que pensei, foi em tirar as crianças de lá”, fala.

As abelhas acabaram invadindo também as casas vizinhas. Com isso, os populares começaram a ligar para o Corpo de Bombeiros, que estiveram no local com roupa apropriada. Eles isolaram a área e pediram paciência dos moradores.

“As abelhas tomaram conta de pelo menos três cômodos do imóvel da aposentada e acabaram se espalhando pelos vizinhos. Pedimos a compreensão dos moradores para que saiam de seus imóveis, para que não haja risco, uma vez que em muitas casas há crianças”, revela o sargento do Corpo de Bombeiros, Roas.

Ele contou que foi pedido à moradora que providenciasse um inseticida. “A melhor maneira de fazer com que elas se afastarem daqui é o inseticida, porque vai disfarçar o cheiro do mel”, diz o militar.

Rosa Lúcia e os moradores chegaram a fazer uma vaquinha para comprar o inseticida que foi passado na residência. O sargento orienta que mel e produtos comestíveis doces sejam lacrados.

“Aqui é uma área de muita mata e constantemente somos acionados para atender ocorrências de abelhas que invadem o imóvel, por conta disso, pedimos às pessoas que redobrem o cuidado. Principalmente deixando mel em vasilhas lacradas ou dentro da geladeira, porque assim vai evitar este tipo de incômodo”, alerta o militar dos Bombeiros.

Jornal Midiamax