Geral

Força-tarefa tira de circulação 40 motocicletas irregulares em blitze na Capital

Em duas blitze, foram 40 motocicletas removidas 

Diego Alves Publicado em 17/06/2015, às 22h50 - Atualizado em 26/04/2018, às 18h00

None
moto.jpg

Em duas blitze, foram 40 motocicletas removidas 

Focados em regularizar a situação dos motociclistas militares, o Exército Brasileiro e a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) estão atuando em conjunto para reforçar a fiscalização nas redondezas dos batalhões. Nesta manhã de quarta-feira (17), foi realizada uma blitz na Avenida Presidente Vargas, em frente ao 20º Regimento de Cavalaria Blindado (RCB), na Capital. Em duas blitze, foram 40 motocicletas removidas por irregularidades.

Por meio de uma normativa, o “Estágio de Prevenção de Acidentes de Motocicletas” é obrigatório para todo militar que entrar em qualquer organização ou quartel pilotando uma motocicleta. “O exército já tem suas medidas para conter os grandes índices de acidentes. Mas, observamos a existência de algumas motocicletas estacionadas em frente dos quartéis com ligações militares. Por isso, essa parceria com a Agetran e PM é importante, nós temos que dar o exemplo e diminuir as irregularidades no entorno das áreas militares”, revelou o Major Flavio Mick.

Na Av. Presidente Vargas foram abordadas mais de 170 pessoas, sendo 83 condutores autuados. Dentre as infrações mais frequentes, os 18 agentes de fiscalização da Agetran registraram 30 pessoas notificadas por dirigirem sem possuir Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou Permissão Provisória para Dirigir (PPD); 16 por permitir posse/condução do veículo à pessoa sem CNH ou PPD; e 9 autuações por conduzir veículo sem os documentos de porte obrigatórios. A mobilização encerrou com 23 motocicletas, sendo removidas ao pátio do Detran/MS.

Parceria

A força-tarefa iniciou com uma blitz na quinta-feira passada (11), quando foi feito um pente-fino aos que trafegavam pela Rua dos Andradas, nas redondezas do Comando Militar do Oeste (CMO). “Parcerias como essas são relevantes, para verificarmos de maneira pontual uma categoria que comete algum tipo de infração. A união das corporações contribui para reduzirmos os índices de acidentes fatais e internações”, destacou o chefe de fiscalização da Agetran, Éder Vera Cruz.

Foram mais de 80 abordagens na região do CMO e 17 motocicletas removidas. As infrações mais recorrentes foram 20 por dirigirem sem possuir CNH ou PPD; 12 por conduzir veículo em mal estado de conservação e 10 por permitir posse/condução do veículo à pessoa sem CNH ou PPD. As operações em conjunto devem continuar conforme a necessidade.

Jornal Midiamax