Geral

Com R$ 45 milhões centro de treinamento para deficientes deve ser construído na Capital

Estimativa é de que o Instituto seja entregue em dois anos e meio

Midiamax Publicado em 13/02/2015, às 16h30

None
_mg_6969.jpg

Estimativa é de que o Instituto seja entregue em dois anos e meio

O Indasco (Instituto de Amparo aos Deficientes do Centro Oeste) que deve contemplar mais de 10 mil atletas deficientes, deve ser entregue em pouco mais de dois anos. Conforme o projeto serão investidos R$ 45 milhões na construção do local que deve contar com 4 campos de futebol, arena esportiva, polo aquático, pista de atletismo, hotel para hospedagem de delegações e um restaurante.

Segundo o presidente do instituto Mauriziu Mascarenhas Souza, nesta sexta-feira (13), o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP) cedeu um terreno de 43.531 m², no jardim Girassóis, para a construção do Indasco que deve beneficiar atletas deficientes de todo o Centro Oeste. “Temos muitos atletas paraolímpicos que têm de se deslocar para o Rio de Janeiro e São Paulo para que possam treinar, com o instituto, eles serão preparados em Campo Grande”, destaca.

O vice-presidente, Lázaro de Souza, afirma que o recurso será destinado pelo Ministério dos Esportes com contrapartida do município e Estado. Ele ressalta que as obras terão inícios em 90 dias. “O recurso será dividido em módulos. Nessa primeira fase feremos o campo de futebol e a pista de atletismo que devem ser concluídos em seis meses”, estima.

Conforme o projeto, o instituto deve contar com 20 profissionais de diferentes áreas e acadêmicos que podem colaborar no tratamento e apoio aos atletas. A estimativa é de que para manter o instituto sejam necessários R$ 120 mil por mês, que devem ser pagos com auxílio da iniciativa privada.

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura para saber mais detalhes sobre o Indesco, mas até o fechamento deste texto não obteve retorno. 

Jornal Midiamax