Geral

Yayá acusa clube de não deixá-lo estar com irmão que morreu durante a Copa

O volante Yaya Touré criticou duramente o Manchester City, clube o qual defende, a quem acusou de não permitir que passasse alguns dias com seu irmão Ibrahim, que morreu na semana passada em Manchester, vítima de câncer. “Confesso que continuo muito triste. Estou sofrendo porque sinto que não fiz nada de útil por Ibrahim nas […]

Arquivo Publicado em 24/06/2014, às 14h46

None
640632685.jpg

O volante Yaya Touré criticou duramente o Manchester City, clube o qual defende, a quem acusou de não permitir que passasse alguns dias com seu irmão Ibrahim, que morreu na semana passada em Manchester, vítima de câncer.

“Confesso que continuo muito triste. Estou sofrendo porque sinto que não fiz nada de útil por Ibrahim nas últimas semanas. Ao final da temporada, queria ficar quatro ou cinco dias com meu irmão antes da preparação para a Copa do Mundo com a Costa de Marfim, a despeito do Manchester City não ter querido me dar um par de dias”, afirmou Yaya Touré em entrevista para revista France Football publicada nesta terça-feira.

“Fui celebrar o título de campeã [do Campeonato Inglês] em Abu Dhabi, enquanto meu irmão estava morrendo em sua cama. Ao menos, Kolo estava a seu lado. Eu me culpo por não ter insistido e não tê-los guiado a me respeitarem. Entretanto, os dirigentes do clube sabiam que eu estava sofrendo durante meses vendo a deterioração da saúde do meu irmão”, queixou-se.

O Manchester City negou as declarações e afirma que nunca recusou ou recusaria um pedido de licença para a situação.

“Esta é a razão pela qual tive várias lesões ao final de temporada. Porque minha cabeça havia tomado o controle do meu corpo. Os últimos quatro meses foram, provavelmente, os mais difíceis da minha vida”, continuou Yaya Touré.

Oyala Ibrahim Touré tinha 28 anos e nunca foi chamado à seleção principal da Costa do Marfim. O caçula da família Touré sempre viveu à sombra de seus dois irmãos ilustres, tendo feito uma carreira itinerante por Ucrânia, França, Egito e Líbano. Ele chegou a estar no elenco do francês Nice durante uma temporada, mas jamais foi escalado para uma partida. No ano passado, defendeu o libanês Safa, onde marcou seis gols em 10 jogos e ajudou o time a se sagrar vice-campeão da liga nacional local.

Apesar da tragédia familiar, os irmãos Kolo e Yayá seguiram com a Costa do Marfim na Copa do Mundo do Brasil – atualmente a dupla é titular da equipe comandada por Sabri Lamouchi.

“Em dado momento, Koko e eu pensamos em deixar o Brasil rumo a Manchester para ver Ibrahim pela última vez. Mas nosso pai nos desaconselhou e nós o ouvimos”, finalizou.



Jornal Midiamax