Geral

Wawrinka revela apoio de Federer e admite surpresa por Grand Slam

Pela primeira vez desde 2001, Roger Federer não será o melhor representante da Suíça no ranking mundial. Responsável por superar o astro na lista da ATP, Stanislas Wawrinka revelou apoio do compatriota e admitiu a surpresa por vencer o espanhol Rafael Nadal na final do Aberto da Austrália, disputada neste domingo. “O Roger é um […]

Arquivo Publicado em 26/01/2014, às 16h41

None

Pela primeira vez desde 2001, Roger Federer não será o melhor representante da Suíça no ranking mundial. Responsável por superar o astro na lista da ATP, Stanislas Wawrinka revelou apoio do compatriota e admitiu a surpresa por vencer o espanhol Rafael Nadal na final do Aberto da Austrália, disputada neste domingo.

“O Roger é um grande amigo. Para mim, é o melhor jogador da história. Ele sempre me manda mensagens. Não liguei para muitas pessoas, apenas para minha esposa, minha filha e minha irmã. E o Roger me ligou. Isso é legal para mim. Sei que ele está feliz, porque sempre quis o meu melhor”, contou.

Campeão da chave de duplas dos Jogos Olímpicos de Pequim-2008 ao lado de Roger Federer, Stanislas Wawrinka, após conquistar o primeiro Grand Slam de sua carreira, passa a ocupar o terceiro lugar do ranking mundial da ATP, superando o compatriota.

“É uma sensação incrível. Vi o Roger ganhar tantos Grand Slams no passado, então agora é a minha vez. Se você observar os últimos 10 anos, com exceção do Del Potro, apenas os quatro grandes ganharam todos os Grand Slams”, disse Wawrinka em alusão a Federer, Nadal, Novak Djokovic e Andy Murray.

O tenista suíço disputou a primeira final de Grand Slam de sua carreira aos 28 anos e até então tinha cinco títulos, todos conquistados torneios de nível 250. Sincero, Wawrinka admitiu que simplesmente não cogitava a possibilidade de ganhar um dos quatro maiores eventos do Circuito na carreira.”Para ser honesto, ainda não assimilei. Ainda acho que estou sonhando. Nunca esperei jogar uma final e vencer um Grand Slam. E acabo de fazer isso. Especialmente pela maneira que joguei durante todo o campeonato, para mim é uma grande surpresa”, reconheceu o suíço, que também eliminou o sérvio Novak Djokovic.

Invicto em 12 partidas diante de Wawrinka, Rafael Nadal entrou como franco favorito na final deste domingo, mas uma lesão nas costas comprometeu sas chances de título. O suíço lamentou a situação e desejou um breve reestabelecimento ao adversário.

“Não é a maneira que um tenista quer vencer um jogo, porque o adversário estava lesionado. Mas quando acontece, você tem que aproveitar. Talvez tenha sido a única uma final de Grand Slam da minha vida. Fiquei triste pelo Rafa e espero que não seja nada grave”, disse.

Jornal Midiamax