Geral

Vacinação contra HPV já está disponível nas UBS e nas escolas públicas e particulares

A partir de hoje (10), a vacina contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV) está disponível nas Unidades de Saúde Básica (UBS) e em escola públicas e privadas de Campo Grande. A estimativa da Secretaria de Saúde Pública (Sesau) é imunizar  20 mil adolescentes. As doses serão oferecidas para meninas com idade entre 11 e […]

Arquivo Publicado em 10/03/2014, às 14h34

None

A partir de hoje (10), a vacina contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV) está disponível nas Unidades de Saúde Básica (UBS) e em escola públicas e privadas de Campo Grande.

A estimativa da Secretaria de Saúde Pública (Sesau) é imunizar  20 mil adolescentes. As doses serão oferecidas para meninas com idade entre 11 e 13 anos.

A partir de agora a vacina passa a integrar o quadro vacinal, cada adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção, sendo a segunda seis meses depois, e a terceira cinco anos após a primeira.

A medida faz parte da campanha nacional contra o HPV, principal causador do câncer de colo de útero. Segundo informações do Ministério da Saúde, 67,4 mil adolescentes serão imunizadas no Estado.
A vacina contra HPV garante proteção de 98% contra o câncer de colo do útero e a meta é atingir 80% do público-alvo. Para Mato Grosso do Sul serão enviadas 141,5 mil doses para ao longo de 2014.

A vacina garante a proteção contra quatro subtipos do vírus (6, 11, 16 e 18). Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo do útero em todo mundo. A imunização é para prevenir e reduzir o número de lesões precursoras e de doentes.
A partir de 2015 a vacina estará disponível para meninas entre 9 e 11 anos e em 2016 a imunização é para adolescentes de 9 a 11 anos.

Vírus

O HPV é um vírus que infecta os queratinócitos da pele ou mucosas, e tem mais de 200 variações diferentes. A maioria dos subtipos está associada a lesões benignas, tais como verrugas, mas certos tipos são frequentemente encontrados em determinadas neoplasias como o cancro do colo do útero, do qual se estima que sejam responsáveis por mais de 90% de todos os casos verificados.
A principal forma de transmissão do HPV é por relação sexual, sendo a doença sexualmente transmissível (DST) mais frequente.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras da doença, sendo 32% infectadas pelos tipos 16 e 18. E que cerca de 75% das mulheres contraiam a infecção durante algum período das suas vidas.

A vacina não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais.

Jornal Midiamax