Geral

Thiago Silva admite que Fred tem peso nas costas por falta de gols

Fred ainda não balançou as redes neste Copa do Mundo. Mais do que isso, o atacante da seleção brasileira não teve participação importante nos dois primeiros jogos. A seca de gols, de acordo com o capitão do time, Thiago Silva, deixa um peso nas costas do camisa 9. Apesar disso, o zagueiro acredita que o […]

Arquivo Publicado em 22/06/2014, às 22h01

None
431212812.jpg

Fred ainda não balançou as redes neste Copa do Mundo. Mais do que isso, o atacante da seleção brasileira não teve participação importante nos dois primeiros jogos. A seca de gols, de acordo com o capitão do time, Thiago Silva, deixa um peso nas costas do camisa 9.

Apesar disso, o zagueiro acredita que o jogador do Fluminense tem experiência o suficiente para não deixar com que isso atrapalhe o desempenho dentro de campo. Ele vai além e aposta que Fred fará gol diante de Camarões nesta segunda-feira (23).

“O Fred continua sendo o cara importante para a nossa equipe da mesma maneira. Ele não tem de fazer gol todos os jogos. Tem de participar e, com certeza, vai ser feliz. Claro que o atacante vive de gols. Neste momento, ele precisa pensar no grupo. Ele é experiente e sei que, neste momento, ele está bem tranquilo. Ele teve cobrança nas Confederações e apareceu no momento certo”, disse Thiago em coletiva de imprensa neste domingo em Brasília.

“Não tenho dúvida que ele vai marcar amanhã e vai tirar o peso das costas. Eu estou com ele para o que der e vier. Se ele não fizer o gol, ele vai dar a possibilidade para outros fazerem, mas, claro que, se ele fizer, ele tira o peso das costas”, completou.

O Brasil enfrenta Camarões nesta segunda-feira, em Brasília. Com empate, o time já garante uma vaga nas oitavas de final, mas não terá certeza que passa como primeiro do grupo. Apesar disso, a expectativa é de um bom jogo da seleção, especialmente após os africanos terem sido goleados pela Croácia.

“A gente pensa em entrar em campo para vencer, se a gente vai dar espetáculo ou não é outra coisa. O que a gente quer é ser comprometido um com outro e fazer o que o professor pede. O resto é consequência. Se tiver goleada e o time jogar bem, vai ser bom para todo mundo”.

Jornal Midiamax