Geral

Rebeldes islâmicos estão a menos de 100 km da capital iraquiana

Os jihadistas estão a menos de 100 km de Bagdá, depois de terem tomado nesta semana o controle da segunda cidade mais importante do Iraque e de outras zonas no norte do país, informaram nesta quinta-feira (12) várias fontes. Os rebeldes se apoderaram da cidade de Dhuluiya, 90 km ao norte de Bagdá, declarou um […]

Arquivo Publicado em 12/06/2014, às 13h41

None
1277898441.jpg

Os jihadistas estão a menos de 100 km de Bagdá, depois de terem tomado nesta semana o controle da segunda cidade mais importante do Iraque e de outras zonas no norte do país, informaram nesta quinta-feira (12) várias fontes.


Os rebeldes se apoderaram da cidade de Dhuluiya, 90 km ao norte de Bagdá, declarou um coronel da polícia e vários habitantes contactados por telefone pela AFP.


Um morador contou à AFP que homens armados percorriam as ruas e que não havia sinal das forças governamentais em sua região.


Antes de chegar à cidade, os insurgentes tentaram tomar Samarra, mas as forças governamentais os impediram.


O Parlamento se reunirá nesta quinta-feira (12) para decretar o estado de emergência a pedido do governo do primeiro-ministro xiita, Nuri al-Maliki.


Desde terça-feira, os jihadistas do EIIL (Estado Islâmico do Iraque e do Levante) se apoderaram no norte do país de Mossul, a segunda cidade do Iraque, de sua Província, Nínive, e de setores em duas províncias próximas, Kirkuk e Salahedin, de maioria sunita.


Na quarta-feira tomaram Tikrit, 160 km ao norte de Bagdá.


Seu porta-voz, Abu Mohamed al-Adnani, criticou Maliki por sua incompetência, em uma gravação sonora divulgada na rede americana de vigilância de sites islamitas Site.


Maliki pediu na quarta-feira a todas as tribos que forneçam apoio militar ao Exército e à polícia e “formem unidades de voluntários para ajudá-los” em sua luta contra os jihadistas.


Jihadistas pretendem conquistar santuários xiitas


O Estado Islâmico do Iraque e do Levante pediu aos seus seguidores que dirijam sua ofensiva rumo a Bagdá e às cidades de Karbala e Najaf, onde estão os principais santuários xiitas.


Em uma gravação de áudio divulgada nas últimas horas, o porta-voz do EIIL, Abu Mohammed al Adnani, pediu “avanços rumo a Bagdá”, que será “a capital do califado”, depois que seu grupo tomou o controle de outras regiões do país como Ninawa.


“O acerto de contas contigo [o primeiro-ministro xiita Nouri al-Maliki] não será em Samarra ou em Bagdá, mas nas impuras Karbala e Najaf”, ameaçou Adnani em seu discurso.


O porta-voz do EIIL pediu aos seus combatentes que não deixem as tropas iraquianas descansarem e que acreditem na “vitória de Deus”.


“Preparem-se e não retrocedam nenhum palmo para que os membros do regime não voltem sobre nossos cadáveres”, destacou o líder jihadista.


“Um Estado não triunfa com soldados, armas e dinheiro, mas com a ajuda de Deus e a fé de seus soldados”, acrescentou Adnani, que destacou que “o islã começou a triunfar”.


A ofensiva sobre o norte do Iraque dos insurgentes sunitas, liderados pelo EIIL, ganhou ontem um novo impulso com sua entrada em Tikrit, capital da Província de Salah ad-Din, o que os deixa a apenas 100 km de Bagdá.


O Exército iraquiano, que bombardeia com caças as áreas controladas pelos rebeldes em Salah ad-Din, parece, por enquanto, incapaz de deter os extremistas, que já ameaçaram ontem com novas investidas.


O parlamento iraquiano estuda hoje decretar o estado de emergência em todo o país devido ao avanço dos insurgentes sunitas, tal como solicitou há dois dias o governo de Maliki.

Jornal Midiamax