Geral

Promessa da Prefeitura de entregar oito Ceinfs não se concretiza e pais reclamam

Para amenizar o problema da falta de vagas em Ceinfs, o ex-prefeito da Capital deu início à construção de oito prédios, que deveriam ter sido entregues em 2012

Arquivo Publicado em 28/01/2014, às 17h58

None
1734620454.jpg

Para amenizar o problema da falta de vagas em Ceinfs, o ex-prefeito da Capital deu início à construção de oito prédios, que deveriam ter sido entregues em 2012

Não é de hoje que a falta de vagas nos Centros de Educação Infantil (Ceinfs) atinge a população de Campo Grande. Para amenizar este problema, o ex-prefeito Nelsinho Trad (PMDB) assinou uma ordem de serviço de R$ 40 milhões para a construção de oito novos Ceinfs, que deveriam ser entregues em outubro de 2012, conforme placas informativas em todas as obras, porém até hoje nenhuma atende à população.

Mais de um ano depois e em uma nova gestão, a do prefeito Alcides Bernal (PP), os moradores dos bairros escolhidos para as obras – Varandas do Campo, Noroeste, Moreninha IV, Betaville, Oiti, Santa Emília, Tijuca II e Vida Nova II – não sabem o porquê da demora.

O Midiamax foi em todos os oito locais e verificou que apenas os Ceinfs do Oiti, do Vida Nova II e do Moreninha IV estão prontos, porém sem mobiliário e ainda não inaugurados. Os outros ainda estão em construção ou então com as obras paradas.

Maria Olinda Alves, de 54 anos, moradora do Santa Emília, conta que precisou colocar a neta em creche particular, já que o Ceinf que fica em frente à sua casa não ficou pronto. “Há um ano não vemos ninguém mexendo aí. Tá parado”, afirmou Fernando Santana, morador do mesmo bairro.

No bairro Tijuca, a cabeleireira Kelly Ribeiro, de 35 anos, disse que as obras aceleram na época da campanha, em 2012. “Hoje só drogado aparece lá. Tive que colocar meu filho de três anos em creche no bairro ao lado e gastar com ônibus. Já deixei emprego porque tenho que buscar ele e se fosse aqui na frente da minha casa tudo seria mais fácil”, lamentou.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Campo Grande para saber por que as obras, orçadas em média a R$ 2 milhões cada, ainda não terminaram ou não foram entregues, mas depois de seis dias de espera não obteve resposta.

Além de Ceinfs existem outras obras atrasadas na cidade, como o loteamento de 482 casas também no bairro Moreninha IV, mas a Prefeitura também não explicou a demora, nem informou a previsão de entrega ou sequer quanto já foi gasto.

Jornal Midiamax