Geral

Por ser bonita, estudante é espancada em escola de SP

Uma estudante de 15 anos foi espancada, dentro da sala de aula, por colegas na Escola Estadual Castelo Branco, em Limeira. O caso aconteceu na manhã de ontem (8) e, segundo o pai da adolescente, o motivo da agressão é a beleza da filha. A adolescente sofreu ferimentos no rosto e no pescoço. Além de […]

Arquivo Publicado em 10/04/2014, às 13h12

None
1701117773.jpg

Uma estudante de 15 anos foi espancada, dentro da sala de aula, por colegas na Escola Estadual Castelo Branco, em Limeira. O caso aconteceu na manhã de ontem (8) e, segundo o pai da adolescente, o motivo da agressão é a beleza da filha. A adolescente sofreu ferimentos no rosto e no pescoço. Além de tapas e socos, uma tesoura chegou a ser utilizada pelas agressoras.

O caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher em Limeira e duas das agressoras foram identificadas e apreendidas e devem passar a noite sob custódia.

O pai da garota, ex-policial militar e estagiário em jornalismo José Carlos Roque Junior, 39, informou que a ocorrência não é a primeira na qual sua filha é vítima das jovens. Ele contou que a filha mudou para a escola no começo do ano e que vem sendo ofendida pelas companheiras de sala desde então.

“Minha filha chama muito a atenção. Eu tenho quatro meninas, e ela é a mais bonita. Até as irmãs mais velhas sentem ciúmes dela. Eu já fui chamado outras vezes, quando minha filha foi xingada. Era uma tragédia anunciada. Na semana passada mesmo fui chamado na escola e disseram que as alunas ameaçaram de cortar o cabelo dela”, disse.

A briga foi registrada por outros alunos com câmeras de celular. O pai informou ainda que a polícia já tem vídeos de toda a ação e que ele vai processar o Estado pelo que aconteceu. “A escola tem toda a responsabilidade pelo que fizeram com a minha filha”, relatou. “Minha filha não é santa, mas a escola não pode permitir que um aluno seja espancado e agredido com uma tesoura dentro da sala de aula”, disse.

Agressão

Roque Junior contou ainda que, depois da agressão, a adolescente foi levada a um pronto-socorro, onde foi atendida, medicada e liberada na tarde de ontem. A família foi avisada por uma pessoa sobre o que aconteceu e decidiu acionar a polícia, que ainda não tinha sido chamada pela direção da escola.

O pai informou ainda que tentou resolver o problema com a diretora da escola, mas que ele teria sido ofendido por ela. “Ela me disse que, se eu tivesse dado educação para a minha filha, isso não teria acontecido”, disse.

Ele disse ainda que, ao comentar que levaria o caso à imprensa, foi expulso da escola pela diretora. “Ela me tratou muito mal. Como fui tratado mal, ameacei chamar a imprensa. Nessa hora, ela me mandou sair da escola”, contou.

Investigação

A Secretaria Estadual da Educação de São Paulo foi consultada sobre o caso e prometeu apurar se houve negligência da escola e se a jovem já havia sofrido bullying.

Ainda segundo a nota, os pais de todas as envolvidas já foram convocados para uma reunião na escola. “A Diretoria Regional de Ensino de Limeira repudia qualquer ato de violência e atua em conjunto com as famílias para evitar casos como o que envolveu as alunas da Escola Estadual Castelo Branco”, disse.

Jornal Midiamax