Geral

Obama a Putin: EUA e aliados estão “preparados” para sancionar à Rússia

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste domingo ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, que seu país e seus parceiros europeus estão “preparados” para sancionar à Rússia após o referendo na Crimeia, e alertou que os exercícios militares russos nas fronteiras da Ucrânia “só exacerbam a tensão”. Em uma ligação telefônica, Obama ressaltou […]

Arquivo Publicado em 16/03/2014, às 23h51

None

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste domingo ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, que seu país e seus parceiros europeus estão “preparados” para sancionar à Rússia após o referendo na Crimeia, e alertou que os exercícios militares russos nas fronteiras da Ucrânia “só exacerbam a tensão”.

Em uma ligação telefônica, Obama ressaltou a Putin que o referendo de hoje na Crimeia “viola a Constituição da Ucrânia” e que se realizou sob “a coerção da intervenção militar” russa nessa península, por isso que seus resultados não serão reconhecidos pelos EUA nem pela comunidade internacional, segundo a Casa Branca.

De acordo com os primeiros resultados oficiais, os moradores da república autônoma ucraniana da Crimeia deram sim no referendo à reunificação com a Rússia.

As ações da Rússia representam “uma violação da soberania e a integridade territorial da Ucrânia” e, em coordenação com os aliados europeus, “estamos preparados” para que Moscou pague um preço por isso, transmitiu Obama a Putin durante a conversa.

Além disso, Obama pediu ao líder do Kremlin que apóie “o desdobramento imediato” de observadores internacionais na Crimeia para ajudar a “prevenir atos de violência”.

Obama também enfatizou a Putin que “não pode conseguir” uma solução diplomática ao conflito em torno da Ucrânia “enquanto as forças militares russas continuam com suas incursões no território” desse país.

“Os exercícios militares russos nas fronteiras com a Ucrânia somente exacerbam a tensão”, advertiu o líder americano.

Tanto os EUA quanto seus aliados na União Europeia (UE) estão prontos para anunciar sanções contra Moscou nesta segunda-feira, quando o parlamento da Crimeia prevê pedir a Putin a incorporação dessa república à Federação Russa, conforme antecipou o primeiro-ministro crimeano, Sergei Axionov.

Na semana passada, Obama já aprovou, mediante uma ordem executiva, sanções contra funcionários e indivíduos, alguns deles russos, “responsáveis ou cúmplices na ameaça à soberania e a integridade territorial” ucranianas.

Jornal Midiamax