Geral

Freiras sequestradas na Síria serão libertadas nas próximas horas

As 12 freiras sequestradas há mais de três meses na cidade síria de Malula por um grupo rebelde serão liberadas nas próximas horas, informaram neste domingo à Agência Efe fontes oficiais e religiosas. O presidente do Conselho Ortodoxo libanês, Robert Eid, que interveio como mediador no sequestro das freiras, declarou à Efe que a expectativa […]

Arquivo Publicado em 09/03/2014, às 10h34

None

As 12 freiras sequestradas há mais de três meses na cidade síria de Malula por um grupo rebelde serão liberadas nas próximas horas, informaram neste domingo à Agência Efe fontes oficiais e religiosas.


O presidente do Conselho Ortodoxo libanês, Robert Eid, que interveio como mediador no sequestro das freiras, declarou à Efe que a expectativa é que as religiosas sejam liberadas às 17h (hora local, 12h de Brasília).


Enquanto isso, uma fonte oficial síria que pediu anonimato explicou à Efe que a libertação é iminente e que se esperam “boas notícias” em poucas horas.


“Fizemos todo o possível para libertar as freiras e continuaremos nossos esforços para devolver qualquer refém são e salvo a seu lar”, disse a fonte.


As freiras desapareceram do convento de Santa Tecla durante a tomada pelos rebeldes da cidade de maioria cristã de Malula, ao norte de Damasco, no último dia 2 de dezembro.


O regime acusou “terroristas” de ter sequestrado as religiosas, que posteriormente foram transferidas à cidade de Yabrud, perto da fronteira com o Líbano.


O grupo rebelde que tem em seu poder as freiras exigiu em janeiro a libertação de 200 presas em prisões do regime sírio em troca da libertação das religiosas.


Eid disse então que as freiras estavam bem de saúde e estavam retidas por uma organização insurgente cujo líder é de nacionalidade kuwatiana e responde pelo nome de Abu Anyan.


O contato com os sequestradores foi perdido na quarta-feira passada após uma série de bombardeios aéreos do exército sírio contra Yabrud, a maior cidade da região de Al Qalamun, que ainda não foi recuperada pelas autoridades.


Pelo menos 14 combatentes islamitas morreram em enfrentamentos contra as tropas governamentais em Yabrud e em seus arredores ontem na ofensiva lançada desde novembro do ano passado pelo regime para cortar a entrada de provisões aos rebeldes a partir do Líbano.

Jornal Midiamax