Geral

Facebook de casal não evita traição e demonstra insegurança diz psicóloga

Em um mundo que valoriza cada vez mais a individualidade, os perfis de casal no Facebook e outras redes sociais costumam chamar a atenção. Mais do que exaltar o amor, no entanto, fazer uma página a dois revela muito mais do que o par que a mantém supõe. Em primeiro lugar, é provável que a […]

Arquivo Publicado em 09/04/2014, às 19h57

None

Em um mundo que valoriza cada vez mais a individualidade, os perfis de casal no Facebook e outras redes sociais costumam chamar a atenção. Mais do que exaltar o amor, no entanto, fazer uma página a dois revela muito mais do que o par que a mantém supõe.

Em primeiro lugar, é provável que a harmonia exibida nas fotos e nas mensagens não seja tão exuberante e verdadeira fora do mundo virtual. “Pode ser uma exposição de felicidade, do tipo ‘vejam que casal lindo nós formamos’, que nem sempre é real. Se fosse, talvez não precisassem expor tanto”, diz a psicoterapeuta Carmen Cerqueira Cesar.

A psicóloga Raquel Fernandes Marques, da Clínica Anime, de São Paulo (SP), concorda: “Ter a necessidade de exibir para os outros o quanto você está feliz com seu parceiro só serve para demonstrar insegurança e baixa autoestima”, afirma a especialista.

Provar ao mundo o quanto são unidos e apaixonados também é, na maior parte das vezes, uma tentativa de blindar a relação contra antigos relacionamentos e possíveis pretendentes –em alguns casos, até de provocar ciúmes. A intenção, explícita ou não, é saber com quem o outro conversa ou se relaciona virtualmente, um controle que não passa de ilusão.

“Muitas pessoas cultivam a fantasia de que saber com quem o parceiro se relaciona inclui a certeza de ter um relacionamento longo. Querem que o amor seja, também, o melhor amigo. E não é, definitivamente”, diz a terapeuta sexual Carla Zeglio, diretora do Inpasex (Instituto Paulista de Sexualidade).

Ela explica que mesmo que o discurso do casal seja “um nunca deve ter segredos para o outro”, na prática, não é assim que funciona. Escolhas e necessidades são individuais, assim como determinadas informações que só dizem respeito à pessoa.

“Para mim, quando um par decide criar um perfil conjunto é porque está em crise, tentando controlar um ao outro”, fala Carla. Já Carmen sugere avaliar se existe um perigo verdadeiro, interno ou externo, para a relação, e se a criação da página é uma forma de evitá-lo.

Manter tentações como “ex” e paqueras à distância via Facebook de casal também só funciona na teoria. Se alguém quiser encontrar um amor do passado na vida real, quem pode impedir? É imaturidade achar que o perfil a dois evita uma traição. Limitar a expressão da individualidade dessa forma pode acabar provocando o efeito contrário ao desejado.

“Casais que fazem tudo juntos, inclusive seus perfis em redes sociais, são mais suscetíveis a se sentir sufocados, podem enjoar um do outro com mais facilidade e acabar o relacionamento mais cedo do que o esperado. Afinal, nem há espaço para sentir saudades. E é bem cansativo”, declara Raquel.

Jornal Midiamax