Geral

Ex-prefeitos e gestores fazem parte da lista de políticos com contas irregulares no TCU

O TCU (Tribunal de Contas da União) listou 102 gestores públicos de Mato Grosso do Sul que tiveram contas rejeitadas por irregularidade insanável julgadas desde 5 de outubro de 2006. Aparecem entre os irregulares ex-prefeitos de cidades do Estado e gestores de recursos importantes. A divulgação teve sua última atualização na última terça-feira (24) e […]

Arquivo Publicado em 25/06/2014, às 13h50

None

O TCU (Tribunal de Contas da União) listou 102 gestores públicos de Mato Grosso do Sul que tiveram contas rejeitadas por irregularidade insanável julgadas desde 5 de outubro de 2006. Aparecem entre os irregulares ex-prefeitos de cidades do Estado e gestores de recursos importantes. A divulgação teve sua última atualização na última terça-feira (24) e vai ser atualizada até o dia da eleição deste ano no dia 5 de outubro.


Na lista estão os ex-prefeitos Acir Kauás, de Selvíria; Afonso Eduardo de Oliveira, de Rio Brilhante; Agamenon Rodrigues do Prado, ex-secretário estadual de Trabalho, Emprego e Renda do governo Zeca; Aldo Serra Gonçalves, de Ladário; Carlos Furtado Froés, de Ponta Porã; Carlos Humberto Saravy de Souza, Guia Lopes da Laguna; Cláudio Nascimento da Paixão, de Terenos; Dilson Deguti Vieira, de Três Lagoas; Domingos Gragol Puckes, de Paranho; Eder Brambila, de Corumbá;  Edwino Raimundo Schultz, de Chapadão do Sul; Humberto Teixeira, ex-prefeito de Dourados e ex-deputado estadual; Márcio Giovani Tomazelli, de Itaquiraí; Myrian Conceição Silvestre dos Santos, de Porto Mutinho; Paulo Ézio Cuel, de Rio Brilhante; Raul Freixes, ex-prefeito de Aquidauana e ex-deputado estadual; Renato Tonelli, ex-prefeito de Itaquiraí e Vagner Cirilo Piantoni, ex-prefeito de Ponta Porã.
Além deles, aparecem na lista os ex-membros da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) Manoel Catarino Paes Peró, ex-reitor e o professor Cezar Augusto Carneiro Benevides.


Flávio da Costa Britto Neto, também é listado por irregularidades insanáveis pelo TCU. Ele foi diretor-presidente da Fundesporte, nomeado pelo governador André Puccinelli (PMDB) e é casado com a vereadora Luiza Ribeiro (PPS), que era da base aliada do prefeito cassado Alcides Bernal (PP) e foi uma das autoras da Lei da Ficha Limpa Municipal.


O marido da vereadora foi superintendente da Conab entre os anos de 95 a 98 e da Funasa entre os anos de 2007 a 2012.

Jornal Midiamax