Geral

Escala de Dilma em Lisboa foi obrigatória, diz Palácio do Planalto

O Palácio do Planalto divulgou uma nota neste domingo afirmando que a escala que a presidente Dilma Rousseff fez em Lisboa neste final de semana foi obrigatória. A comitiva da presidente, que estava em Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial, fez uma escala não prevista na agenda oficial em Portugal no sábado, […]

Arquivo Publicado em 26/01/2014, às 22h33

None

O Palácio do Planalto divulgou uma nota neste domingo afirmando que a escala que a presidente Dilma Rousseff fez em Lisboa neste final de semana foi obrigatória. A comitiva da presidente, que estava em Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial, fez uma escala não prevista na agenda oficial em Portugal no sábado, quando seguia para um compromisso em Cuba.

Segundo o Planalto, o avião presidencial não tem autonomia para realizar um voo direto entre Zurique e Havana. Por isso, a escala em Lisboa foi “obrigatória”. “A opção por Lisboa foi a mais adequada, já que se trata do aeroporto mais a oeste no continente europeu com possibilidades de escala técnica”, diz o comunicado.

A nota diz ainda que a presidente chegou em Lisboa no sábado, às 17h30, e pernoitou na cidade, seguindo viagem na manhã seguinte. A decisão de fazer um voo diurno foi tomada pela Aeronáutica, afirma o Palácio do Planalto, a partir da avaliação das condições meteorológicas, que permitiram que o trecho Lisboa-Havana fosse coberto no domingo em 9 horas 45 minutos.

Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo revelou que a presidente e sua comitiva ocuparam um total de 45 quartos em dois dos hotéis mais caros de Lisboa. A suíte de Dilma no hotel Ritz está tabelada em 8 mil euros (cerca de R$ 26 mil). O jornal afirma que cerca de R$ 70 mil foram gastos em hospedagem.

Jornal Midiamax