Geral

Enquanto obra de duplicação nem começou, mais 6 morreram na BR-163 nesta semana

A principal via federal em território sul-mato-grossense continua com o título de 'rodovia da morte' e CCR MSVia, que venceu leilão para concessão, não tem data para início das obras.

Arquivo Publicado em 30/05/2014, às 17h27

None
426082330.jpg

A principal via federal em território sul-mato-grossense continua com o título de ‘rodovia da morte’ e CCR MSVia, que venceu leilão para concessão, não tem data para início das obras.

A BR-163, conhecida como “rodovia da morte”, estava com previsão do início de duplicação para o início de abril, mas até esta sexta-feira (30) a empresa CCR MSVia não deu início às obras. Enquanto isso, desde o último domingo (25), seis pessoas perderam a via na estrada.


A empresa foi vencedora do leilão para explorar o pedágio da BR que atravessa Mato Grosso do Sul de norte a sul. Nos cinco primeiros anos, estão previstos R$ 3,4 bilhões na duplicação da rodovia.


Em nota oficial, a empresa informou ser possível as obras começarem em maio e que o compromisso da concessionária é de realizar 10% da duplicação em 18 meses, ou seja, em setembro de 2015. Nesta etapa, está prevista a duplicação de 80,6 quilômetros em oito trechos diferentes.


A empresa disse não ter nenhuma data confirmada para o início das obras.


Acidentes


A falta de espaço entre carros e carretas e velocidade da via são as principais queixas dos motoristas que trafegam pela BR-163. Diversos estudos mostraram a necessidade de duplicação para tornar a ultrapassagem segura para quem utiliza a via.


No último domingo (25), três pessoas morreram quando um caminhão tentou realizar uma ultrapassagem à noite no trecho entre o distrito de Anhanduí e a cidade de Nova Alvorada do Sul.


Com o impacto, o Prisma que transportava quatro pessoas foi arrastado e lançado para fora da via. Três pessoas morreram presas nas ferragens.


No dia 27, terça-feira, um acidente entre um carro e uma carreta, na região de Sonora, matou o motorista de um Fox, Germano Beltrol, de 43 anos, que colidiu com o caminhão que tentava fazer uma ultrapassagem.


Na quarta-feira (28), uma colisão envolvendo um caminhão e uma caminhonete, no distrito de Douradina, matou um homem de 52 anos. A vítima conduzia uma Ford Ranger e, ao tentar fazer uma ultrapassagem, colidiu com o caminhão. Ele estava sozinho na caminhonete e morreu na hora.


Na madrugada desta sexta-feira (30), Geovane Pereira da Silva, de 28 anos, morreu depois de ser atropelado por um caminhão na BR-163, região do município de Dourados, distante 225 quilômetros da Capital.




Jornal Midiamax