Em sua passagem por Campo Grande, o lutador de UFC, Rodrigo Minotauro, visitou o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), na manhã desta terça-feira (14) e fez algumas demonstrações no tatame. Ele ainda ministrará palestra motivacional sobre superação no Palácio Popular da Cultura, às 19 horas.

O convite ao lutador foi feito pelo comandante-geral da Polícia Militar, cel. Davi, para conhecer o trabalho, o treinamento de luta dos dois batalhões e dar dicas de técnicas que possam ser aplicadas no serviço diário dos policiais militares.

“O convite foi feito e o Minotauro prontamente aceitou. Ficamos felizes em poder recebê-lo, ouvir suas dicas, tentar aplicá-las em nossas atividades, além de conhecer um pouco de sua história de superação”, disse o comandante do Bope, tenente-coronel Luis Antonio Sá Braga.

A agenda do lutador ainda inclui tarde de autógrafos na Drogaria São Bento e palestra motivacional sobre superação no Palácio Popular da Cultura, às 19 horas.

Carreira

Apontado como um dos maiores nomes da história do MMA, Rodrigo Minotauro também é o brasileiro mais bem pago na história do UFC. Isso é o que mostra  estudo feito pela famosa empresa de auditoria BDO, obtido em primeira mão pelo blog, que levantou as bolsas recebidas por lutadores nos 20 anos do maior evento de MMA do mundo.

Eles tiveram como base os valores divulgados pelo próprio Ultimate após seus eventos e pelo renomado site MMA Manifesto, que estuda o pagamento dos lutadores quando os valores não são divulgados de forma oficial. Este estudo não envolve percentuais de venda de pay-per-view ou contratos de publicidade, mas é o bom parâmetro para ver a situação dos atletas.

Minotauro recebeu um total de US$ 2,89 milhões, ficando pouco à frente de Anderson Silva, com US$ 2,871 milhões – o Spider vai ultrapassá-lo em 6 de julho, assim que enfrentar Chris Weidman no UFC 162. Em terceiro vem Wanderlei Silva com US$ 2,23 milhões. Mas Rodrigo fica ainda mais à frente na relação bolsa por minuto lutado. Ele tem US$ 38.697 por minuto lutado, com Vitor Belfort em segundo com US$ 32.237 por minuto lutado.

Levando em consideração todos os lutadores que já estiveram no UFC, o peso pesado brasileiro é apenas o oitavo mais bem pago. O líder desse ranking é o ex-campeão dos meio-pesados Chuck Liddell, com US$ 4,32 milhões, seguido por seu arquirrival Tito Ortiz, com US$ 4,075 milhões. Confira abaixo todos os números do levantamento.