Geral

Dani Alves fala em ato “super espontâneo” e nega vitimização

Dois dias se passaram, e o polêmico insulto racista sofrido por Daniel Alves na partida diante do Villarreal, no último domingo, segue com forte repercussão. A atitude do lateral brasileiro, que comeu a banana atirada por um torcedor da equipe de El Madrigal, virou campanha na internet e se tornou uma “febre virtual”. O jogador, […]

Arquivo Publicado em 29/04/2014, às 12h31

None

Dois dias se passaram, e o polêmico insulto racista sofrido por Daniel Alves na partida diante do Villarreal, no último domingo, segue com forte repercussão. A atitude do lateral brasileiro, que comeu a banana atirada por um torcedor da equipe de El Madrigal, virou campanha na internet e se tornou uma “febre virtual”. O jogador, porém, garante que o seu ato foi espontâneo e descarta qualquer possibilidade de vitimização.

“Não quero ser vítima, vender um vitimismo, até porque, se você toma as coisas com humor e alegria, a ofensa não vai te atingir. Tem que ser superior, sem deixar de denunciar esse tipo de coisa. Espero que essa repercussão toda, que começou com uma brincadeira sem preocupação, dê resultado. O insulto só chega se o receptor deixar. Se usar o jeitinho brasileiro para driblar isso, o objetivo de quem mandou não é alcançado”, afirmou Daniel Alves, em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo.

O polêmico caso aconteceu na segunda etapa da partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Espanhol. Aos 30 min, quando foi cobrar um escanteio pela ponta direita, o lateral direito do Barcelona teve uma banana atirada contra si. Como resposta, apanhou-a do chão, descascou-a e a comeu. No fim do jogo, ainda agradeceu por terem evitado que tivesse cãibras.

Nas redes sociais, o caso ganhou muita repercussão, e Daniel Alves recebeu apoio. Neymar, companheiro do lateral no Barcelona, postou uma foto ao lado de seu filho comendo uma banana e lançou a campanha “somos todos macacos”. Ela foi logo aderida por famosos do mundo inteiro e virou até estampa de camisa contra o racismo, lançada por Luciano Huck – o que gerou ainda mais polêmica.

Daniel Alves, entretanto, garante que a sua atitude não foi pensada. “Foi super espontânea, mesmo que há um certo tempo já tenha passado por esse tipo de coisa. Surgiu na hora, já tinha comentado até com o próprio Neymar, que já havia passado por isso em um jogo anterior, e por uma casualidade, a fruta caiu na minha frente. A minha reação foi pegar e tirar um pedaço. Não tinha programado, até porque não imaginava que iam jogar uma banana em um campo de futebol”, explicou.

Por fim, o lateral direito titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo se mostrou surpreso e ao mesmo tempo satisfeito com a repercussão que o caso ganhou nestes dois dias. “Fico feliz por ter dado essa repercussão e espero que isso sirva de alguma maneira para dar um basta em atitudes desse tipo. Não só no futebol. Em nenhum outro âmbito deveria existir esse tipo de coisa. Estamos no século 21, o mundo evoluiu e temos que evoluir com ele. O Futebol é muito mais do que isso”, decretou.

Jornal Midiamax