Geral

Campeã nos Jogos Olímpicos da Juventude é ovacionada na chegada a Campo Grande

A sul-mato-grossense Layana Colman, de 17 anos, que conquistou a primeira medalha de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos da Juventude de Nanquim na China, foi recepcionada por amigos, familiares, fãs e também pela imprensa no Aeroporto Internacional de Campo Grande. A judoca chegou à Capital por volta das 8 horas deste domingo (31) e se […]

Arquivo Publicado em 31/08/2014, às 13h15

None
1180594703.jpg


A adolescente conquistou o ouro no brasileiro sub-21 em Campo Grande neste ano. Entretanto, o que garantiu vaga nos jogos da China foi o bronze no mundial sub-18 em Las Vegas em 2013. A jovem chegou à Capital acompanhada do treinador Igor Rocha e foi recebida por familiares e amigos que levaram balões e cartazes e gritavam “Layana, cadê você? Eu vim aqui só pra te ver!”. A judoca, que desceu em solo campo-grandense com a medalha no peito, não escondeu a emoção e chorou ao ver a festa no aeroporto.

Layana diz que começou a praticar o esporte aos 8 anos de idade, depois de ser convidada por uma amiga, que não queria treinar sozinha. Hoje, a amiga se tornou modelo e a judoca continua praticando e competindo o esporte que é sua paixão. Mas ela afirma que não foi tão fácil começar, pois a mãe da adolescente resistiu e não quis que ela praticasse judô no início. “Tive que chorar muito pra conseguir convencer minha mãe”, conta.

A campeã afirma que pretende continuar em Campo Grande. Ela diz que deve o título e as medalhas primeiramente ao técnico Igor e também à família e aos amigos, de quem recebe apoio. Apesar de todo o suporte, a judoca diz que falta incentivo, como patrocínio ou salário. Ela afirma que há atletas talentosos, não só o judô, como em outros esportes em Mato Grosso do Sul, porém que vão embora para outros Estados, onde recebem maior apoio.

O treinador da judoca também pontuou a falta de auxílio para os atletas. “Daqui a pouco a Layane completa 18 anos e vai entrar na faculdade. Ela precisa de, pelo menos, um salário para poder se sustentar, não tem como ela estudar e treinar sem ter renda”, diz Igor. Ele também afirma que, por ser filho de vereador e ter amigo deputado estadual, vez ou outra consegue alguma ajuda de custo da Prefeitura, mas que há carência em incentivo, tanto do poder público, quanto do poder privado.

Após a recepção no aeroporto, a judoca, emocionada, disse que não se acostumou com as homenagens. “É a segunda vez que fazem uma recepção tão linda, mas vou chorar sempre”, diz Layana. A adolescente saiu do aeroporto em um carro do Corpo de Bombeiros e seguiu, em carreata, para o Shopping Campo Grande. De lá, Layana vai para uma chácara com os familiares e amigos, onde eles continuarão as comemorações da vitória.

Na segunda-feira, dia 1º de setembro, a campeã já volta aos treinos. Os pais de Layana, que também estavam muito emocionados durante a recepção da jovem no aeroporto, contaram sobre a trajetória da filha e a dedicação para ela chegar aonde chegou, treinando todos os dias, mesmo em fim de semana ou feriados.



Jornal Midiamax