Geral

Som da Concha volta com samba de ‘Bibi do Cavaco’ e do grupo ‘Mistura de Raça’

Ainda em ritmo de carnaval, o primeiro Som da Concha neste domingo (17) traz samba com o já conceituado músico sul-mato-grossense Bibi do Cavaco e do grupo Mistura de Raça. O Som da Concha é um projeto da Fundação de Cultura do governo do Estado em parceira com a Fundação Manoel de Barros, TV Brasil […]

Arquivo Publicado em 17/02/2013, às 10h48

None
1595511212.jpg

Ainda em ritmo de carnaval, o primeiro Som da Concha neste domingo (17) traz samba com o já conceituado músico sul-mato-grossense Bibi do Cavaco e do grupo Mistura de Raça. O Som da Concha é um projeto da Fundação de Cultura do governo do Estado em parceira com a Fundação Manoel de Barros, TV Brasil Pantanal e 104FM Radio MS. Os shows acontecem na Concha Acústica Helena Meireles no Parque das Nações Indígenas a partir da 17h30, com entrada franca.


O Grupo Mistura de Raça irá se apresentar pela primeira vez no projeto Som da Concha. O grupo fundado em 1992 por Gilbertão, Tissa e Edgar, levará para o Som da Concha o melhor do samba de raiz, comemorando os 21 anos de carreira do grupo. Para Edival Cândido (Tissa), vocalista e instrumentista do Grupo, o Som da Concha é uma forma de divulgar o samba na capital, “Estamos muito empolgados e motivados em participar desse projeto e mostrar nosso trabalho”.


Com qualidade diferenciada, requintada pelos batuques e percussão ímpares, o grupo resgata o que há de melhor no estilo musical. O Mistura de Raça já se apresentou em várias cidades do Estado, como Corumbá, Três Lagoas, Ponta Porã, Coxim, Dourados, entre outras, participando, inclusive, de festival de música na Bolívia. Atualmente o grupo é formado por Gilbertão (repique de mão), Tissa (tantan, rebolo e voz), Edgar (pandeiro), Fábio (cavaquinho) Hugo (violão) e Diogo (surdo).


Já o sambista e compositor Bibi do Cavaco estreando no Som da Concha, traz as notas inconfundíveis do seu cavaquinho, lembrando os grandes nomes do chorinho e do samba brasileiro, como “Adoniran Barbosa”, “Alcione”, “Benito de Paula”, entre outros.


Bibi iniciou sua carreira em 1987 com o grupo “Zuera” tendo participado de vários grupos de samba da capital e já acompanhou artistas como o saudoso Moreira da Silva – o rei do samba de breque, a grande Jovelina Pérola Negra, os puxadores de samba-enredo Dominguinhos do Estácio, Carlinhos de Pilares e Rixa. Em 2000 representou o Estado na escola de Samba Salgueiro com o Grupo Acaba. O artista gravou em 2004 o CD “Choro Meu”.


Atualmente segue uma carrreira solo, mostrando o que há de melhor na música brasileira. O repertório do sambista é uma leitura do passado, com influências e estilo bastante intimista, já que o músico tem uma linguagem musical forte e marcante. “Cada um tem uma missão, a minha é resgatar e manter a cultura brasileira por meio do Samba” revela o artista. Neste show Bibi do Cavaco, mostra mais uma vez todo o seu talento inclusive com músicas autorais como “Não quero mais chorar”, “Falei de amor” e ainda fará o lançamento do mais novo trabalho “Samba bom”.


Som da Concha


O projeto é uma realização da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul em parceria com a Fundação Manoel de Barros, TV Brasil Pantanal e 104 FM Rádio MS e prevê apresentações de shows em domingos alternados.


O Som da Concha teve início em 2007 e já teve a participação de aproximadamente 1.100 músicos sul-mato-grossenses com 208 atrações. Só em 2012 foram 40 edições com a participação de um público que aprecia a boa música, valorizando os artistas regionais.


A Concha Acústica Helena Meirelles fica no Parque das Nações Indígenas, na rua Antonio Maria Coelho, 6000. Outras informações pelo telefone (67) 3314-2030. A entrada para os shows é franca.

Jornal Midiamax