Geral

Sem viaturas, perícia não aparece para investigar arrombamento em Campo Grande

O gerente administrativo Anísio Filho, de 29 anos de idade, teve a sua casa arrombada na tarde de segunda-feira (04) mas até a tarde desta terça-feira (05) estava no aguardo dos peritos papiloscopistas para fazer o levantamento no local, sem sucesso. A ocorrência foi registrada por volta das 18h de segunda-feira, com a Polícia sendo […]

Arquivo Publicado em 05/11/2013, às 16h52

None
1864245185.jpg

O gerente administrativo Anísio Filho, de 29 anos de idade, teve a sua casa arrombada na tarde de segunda-feira (04) mas até a tarde desta terça-feira (05) estava no aguardo dos peritos papiloscopistas para fazer o levantamento no local, sem sucesso.

A ocorrência foi registrada por volta das 18h de segunda-feira, com a Polícia sendo chamada para constatar o fato. O portão e a porta foram forçados e os ladrões levaram um aparelho de TV de 42 polegadas, uma aparelho de vídeo game, vários jogos, peças de roupas e um par de tênis.

Os vizinhos notaram que havia alguma coisa estranha no imóvel que fica na rua Tricordiano, Jardim Mansour, em Campo Grande. Depois que os policiais constaram o roubo, foi solicitada a presença dos peritos para a coleta de material, como digitais, mas segundo o proprietário do imóvel, a resposta é que não havia viaturas para o atendimento.

Desta forma, até a tarde desta terça-feira, Anísio estava no aguardo da perícia. “è inadmissível uma situação como esta. Estamos há quase 24 horas aguardando e nada. O local está preservado, pois acredito que ainda é possível coletar algum material, mas com este tempo todo de espera, vai ficar difícil. O problema é que a casa está aberta pois não podemos mandar arrumar o portão nem a fechadura pois estamos à espera da perícia”, afirmou.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Papiloscopistas de MS, Márcio Cristiano Paroba, o problema é pontual, pois todas as viaturas apresentaram problemas ao mesmo tempo. “De Servidores o Sindicato não recebeu nenhuma reclamação, mas sabemos que as viaturas estão com problemas mecânicos mas a direção está fazendo um esforço para resolver o impasse o mais rápido possível.

Já a os responsáveis pela Coordenadoria Geral de Perícia, não se manifestaram sobre o caso.

Jornal Midiamax