Geral

Morte de funcionário de TV a cabo após queda em Campo Grande foi acidental, diz perícia

A delegada da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande (MS), Ana Cláudia Medina, concluiu ontem (4) as investigações do inquérito policial que apurava a morte do funcionário de uma empresa de telefonia, Júlio Cesar Aparecido Hormung de Castilho, 36 anos, ocorrida em junho deste ano. De acordo com o boletim de ocorrência registrado […]

Arquivo Publicado em 05/12/2013, às 12h33

None

A delegada da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande (MS), Ana Cláudia Medina, concluiu ontem (4) as investigações do inquérito policial que apurava a morte do funcionário de uma empresa de telefonia, Júlio Cesar Aparecido Hormung de Castilho, 36 anos, ocorrida em junho deste ano.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, Júlio e um outro funcionário da empresa instalavam equipamentos de TV por assinatura na rua Castro Alves, quando a vítima caiu do prédio de uma altura de 7 metros, bateu a cabeça no chão e morreu na hora.

Segundo testemunhas Júlio resolveu subir no telhado sem nenhum equipamento de segurança, depois de tentar passar por diversas vezes sem sucesso, um fio para instalação de TV a cabo na casa. Cleber Amorim de Assis, 44 anos, colega de trabalho da vítima ficou na sala do imóvel e quando ouviu o barulho e foi ver Júlio já estava caído no chão, morto.

Para Ana Cláudia o laudo realizado por peritos criminais foi conclusivo. “Levando em consideração o trabalho pericial, nós concluímos que houve queda acidental e que o local em pauta foi palco de morte acidental por precipitação, principalmente pelo fato de a vítima não estar no momento do acidente usando sequer o mínimo de equipamento de proteção individual para sua segurança”, explica a delegada.

Com o relatório do inquérito policial, que será encaminhado hoje ao Poder Judiciário, segundo Ana Cláudia, encerram os trabalhos da Polícia Civil, com relação ao caso.

Jornal Midiamax