Geral

Investigação aponta erro humano em descarrilamento de trem em Nova York

A investigação do acidente de trem de domingo em Nova York, que deixou um saldo de quatro mortos e 67 feridos, apontava o erro humano do maquinista como possível causa do excesso de velocidade registrado antes do descarrilamento, segundo informações da imprensa local. O maquinista do trem, William Rockefeller, declarou aos investigadores que “estava nas […]

Arquivo Publicado em 03/12/2013, às 17h16

None

A investigação do acidente de trem de domingo em Nova York, que deixou um saldo de quatro mortos e 67 feridos, apontava o erro humano do maquinista como possível causa do excesso de velocidade registrado antes do descarrilamento, segundo informações da imprensa local.

O maquinista do trem, William Rockefeller, declarou aos investigadores que “estava nas nuvens” pouco antes do acidente e só reagiu quando um sinal sonoro alertou que circulava a uma velocidade perigosamente alta, afirmou em sua edição desta terça-feira o tabloide New York Post.

A informação de uma das duas caixas-pretas da locomotiva revelou que o trem avançava a mais do dobro da velocidade permitida ao entrar na curva onde descarrilou a 130 km por hora, em vez dos 48 km/h permitidos, anunciou na segunda-feira um especialista da Junta Nacional de Segurança do Transporte (NTSB), Earl Weener.

Além disso, Rockefeller só acionou os freios cinco segundos antes do espetacular descarrilamento do trem suburbano no Bronx (norte de Nova York), que terminou com um vagão à beira de um rio de águas congeladas, acrescentou Weener.

Os primeiros resultados da investigação indicaram que não havia “nenhum problema ou anomalia com os freios”, declarou a mesma fonte.

Os investigadores pensam que o maquinista dormia e acordou muito tarde para evitar o acidente, afirmou o site nova-iorquino de informação DNA.Info.

Como é habitual neste tipo de situação, as autoridades apreenderam o telefone celular do maquinista para verificar se não utilizava o aparelho nos momentos anteriores ao acidente.

Também realizaram exames de alcoolemia e uso de entorpecentes, mas os resultados ainda não foram divulgados.

O acidente ocorreu na manhã de domingo quando o trem tentava fazer uma curva pouco antes da estação de Spuyten Duyvil, na confluência dos rios Hudson e Harlem.

Os sete vagões do trem descarrilaram num momento em que transportavam 150 passageiros. Quatro vagões saíram da via e terminaram em uma de mata próxima. Um deles parou a apenas alguns metros do rio Harlem, que separa o Bronx do norte de Manhattan.

A investigação durará entre uma semana e dez dias, de acordo com a NTSB, e analisará as vias, a sinalização, os freios, a mecânica, os procedimentos, assim como as razões pelas quais os passageiros morreram ou ficaram feridos.

O acidente ocorreu no fim de semana posterior à festa tradicional de Ação de Graças, que ocorreu na quinta-feira nos Estados Unidos, na qual milhares de americanos viajam para se reunir com seus familiares em outros estados.

Jornal Midiamax