Geral

Ex-presidiário paraguaio é metralhado enquanto pilotava moto na fronteira

Pistoleiros em uma motocicleta executam um ex-presidiário paraguaio em Ponta Porã, distante a 346 km de Campo Grande, com tiros de pistola, ontem (19), segundo informações do “Pedro Juan News”. A vítima foi identificada como o paraguaio, Isidro Cardozo de 41 anos, que transitava em uma motocicleta estrangeira na rua Piauí no bairro São Domingos, […]

Arquivo Publicado em 20/07/2013, às 13h05

None
1573972006.jpg

Pistoleiros em uma motocicleta executam um ex-presidiário paraguaio em Ponta Porã, distante a 346 km de Campo Grande, com tiros de pistola, ontem (19), segundo informações do “Pedro Juan News”.


A vítima foi identificada como o paraguaio, Isidro Cardozo de 41 anos, que transitava em uma motocicleta estrangeira na rua Piauí no bairro São Domingos, pela manhã, por volta das 12h40, quando foi interceptado pela dupla de pistoleiros e executado com 16 disparos de pistola 9mm nas proximidades do posto de saúde do bairro.


Segundo informações, o mesmo há poucos dias teria saído em liberdade da penitenciária de Pedro Juan Caballero (PY), onde se encontrava preso por envolvimento em um assalto a uma casa de câmbio em Pedro Juan, onde cumpria pena.


O mesmo segundo a polícia, teria sido executado em um ajuste de contas entre assaltantes que atuam nesta parte da fronteira, já que horas após a execução da vítima, em uma ação conjunta das policias do Paraguai e do Brasil, foram presos os dois supostos executores do homicídio e identificados como o paraguaio Mauro Jara Freitas de 29 anos e o brasileiro Emerson Vilhalva Pavão de 19 anos, em um bairro de Pedro Juan Caballero, segundo Mauro a vítima teria se negado a aceitar um objeto que os dois teriam roubado, razão pela qual decidiram executá-lo na manhã desta sexta, os dois se encontram presos na divisão de Investigação de Delitos da polícia paraguaia a espera de que um juiz da cidade determine a situação dos dois supostos pistoleiros, para que estes sejam transferidos a Ponta Porã para que respondam pelo crime de homicídio.

Jornal Midiamax