Geral

Deputado afasta troca na Fundesporte e classifica conversa como ‘fogo amigo’

O deputado federal Geraldo Resende (PMDB) não acredita na possibilidade de o governador André Puccinelli (PMDB) substituir o atual diretor-presidente da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), Flávio Britto. Para ele, a conversa é “fogo amigo de alguém que ficou desempregado após o resultado eleitoral em Campo Grande e usa […]

Arquivo Publicado em 26/01/2013, às 12h54

None
632248249.jpg

O deputado federal Geraldo Resende (PMDB) não acredita na possibilidade de o governador André Puccinelli (PMDB) substituir o atual diretor-presidente da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), Flávio Britto.


Para ele, a conversa é “fogo amigo de alguém que ficou desempregado após o resultado eleitoral em Campo Grande e usa o vereador Herculano Borges (PSC) para cumprir uma tarefa ingrata”.


Nesta semana, o vereador cogitou a possibilidade de assumir a vaga no lugar de Britto. Com sua saída da Câmara Municipal, a suplente Juliana Zorzo (PSC) ganharia cadeira de vereadora.


“Fico decepcionado quando um vereador que tem a possibilidade de exercer uma oposição crítica e construtiva na Câmara possa se prestar ao papel, que alguns querem que ele cumpra, de desalojar quem está tendo uma excelente atuação na Fundesporte”, declarou Resende.


O parlamentar avisou ainda não aceitar qualquer tipo de retaliação, que considerou “odiosa” a Britto, pelo fato de a vereadora Luiza Ribeiro (PPS), sua esposa, fazer parte da base aliada do prefeito Alcides Bernal (PP). “Isso seria a negação da boa prática política, quando na verdade, ideias devem ser combatidas com ideias. Não devemos voltar à odiosa prática dos coronéis do passado”, comentou.


Flávio Britto foi conduzido à direção da Fundesporte há cerca de um ano. “Aproveitando o período de férias do Congresso Nacional, houve uma trama para tirá-lo da superintendência da Funasa, que era referência nacional em bons projetos do setor e um dos únicos espaços que o PMDB ocupava no Governo Federal”, disse Resende.


Na época, segundo o deputado, Puccinelli “mostrou indignação e a nosso pedido e para corrigir uma grande injustiça, delegou a ele a missão de alavancar a área de esporte em Mato Grosso do Sul, o que ele vem fazendo de maneira excelente”.


“Acredito piamente que o governador André não vai prejudicar um amigo e companheiro, que sempre serviu Mato Grosso do Sul e o PMDB, exercendo um trabalho fantástico, agora na Fundesporte”, finalizou. (Com informações da assessoria).

Jornal Midiamax