Geral

Coringa questiona sobrepreço de 70% da tabela SUS e Adalberto se respalda no MPE

Além da suposta ‘privatização’ nos tratamentos de quimioterapia, o vereador Coringa (PSD) questionou o superfaturamento no contrato do hospital do Câncer com a clínica Neorad. Para se defender Adalberto se respaldou em aprovações do MPE (Ministério Público Estadual). “Por que a Neorad tinha uma tabela de preços com um patamar 70% maior no período em […]

Arquivo Publicado em 17/07/2013, às 20h58

None

Além da suposta ‘privatização’ nos tratamentos de quimioterapia, o vereador Coringa (PSD) questionou o superfaturamento no contrato do hospital do Câncer com a clínica Neorad. Para se defender Adalberto se respaldou em aprovações do MPE (Ministério Público Estadual).

“Por que a Neorad tinha uma tabela de preços com um patamar 70% maior no período em que atendeu pacientes do Hospital do Câncer ? questiona o vereador Coringa (PSD).

Entretanto Adalberto Siufi no seu depoimento negou qualquer regularidade e disse que detalhes como esse são definidos em contrato e nenhuma empresa usa uma tabela própria. Para se defender, Siufi ainda se respaldou no MPE.

“As contas do hospital na minha gestão foram todas aprovadas inclusive pelo Ministério Público Estadual” relata o médico Adalberto Siufi, ex-diretor do Hospital do Câncer de Campo Grande.

As investigações da Operação Sangue Frio indicam que além do favorecimento de clínicas com a suspensão da Quimioterapia no Hospital Regional houve uma cobrança indevida e aumento desnecessário no número de sessões de Radioterapia feitas no Hospital do Câncer de Campo Grande.

Jornal Midiamax