Geral

Cavani promete levar propostas ao presidente do Napoli

O atacante Edinson Cavani provou na Copa das Confederações que é um dos maiores atacantes da atualidade. Ele fez gols em partidas importantes, recebeu elogios de técnicos rivais, como Felipão e Cesare Prandelli, e agora vai decidir seu futuro junto ao Napoli. Com uma multa rescisória avaliada em 63 milhões de euros (R$ 183,2 milhões), […]

Arquivo Publicado em 01/07/2013, às 21h52

None

O atacante Edinson Cavani provou na Copa das Confederações que é um dos maiores atacantes da atualidade. Ele fez gols em partidas importantes, recebeu elogios de técnicos rivais, como Felipão e Cesare Prandelli, e agora vai decidir seu futuro junto ao Napoli. Com uma multa rescisória avaliada em 63 milhões de euros (R$ 183,2 milhões), ele está na mira do Chelsea, Real Madrid, Manchester United, Paris Saint-Germain, Manchester City e até do novo rico Monaco.


Aos 26 anos, ele já tem uma proposta de R$ 144 milhões do Chelsea, mas terá de convencer o presidente Aurelio De Laurentiis, no Napoli, a negociá-lo abaixo do valor da multa. Mas sabe que não será fácil e já está recebendo, inclusive, críticas da fanática torcida napolitana. Com os gols que marcou nas partidas no Brasil, Cavani chamou a atenção do mundo e também chegou a 17 com a camisa celeste, mesmo número de mitos como Pedro Rocha e Francescoli. Ao que tudo indica, ele será a grande figura do Uruguai para a Copa de 2014, no Brasil, caso a seleção conquiste a vaga nas eliminatórias.


“Vou tirar férias, depois veremos. Volto ao Napoli e vou conversar, quero falar diretamente com o presidente para ver a situação. Estou tranquilo e sei que, se algo for feito, vai ser o melhor que pode acontecer. Só posso garantir que qualquer que seja o clube que eu esteja, vou dar meu melhor, me entregar e me dedicar bastante”, disse Cavani.


Para o atacante, o desempenho do Uruguai, que deu trabalho ao Brasil e só perdeu nos pênaltis para a Itália na decisão do terceiro lugar da Copa das Confederações, dá novo ânimo à equipe.


“Ganhar sempre é importante, pois isso demonstra a segurança e convicção. É diferente das eliminatórias, mas seria importante vencer porque estamos vindo de um mês muito intenso. De qualquer maneira, o grupo demonstrou que esse é o caráter que tem. Isso nos ajuda para a última parte que ainda existe das Eliminatórias”, comentou.


O Uruguai é apenas o quinto colocado das Eliminatórias Sul-Americanas e, por isso, corre risco de não vir à Copa no Brasil. Antes mesmo da Copa das Confederações muita gente no Uruguai já pensava nas partidas decisivas contra Peru (fora) e Colômbia (casa), em setembro. Cavani quer primeiro descansar.


“Vamos tratar de descansar, curtir o resto das férias, e no reencontro do grupo tentar manter o que fizemos na Copa das Confederações no Brasil. O Uruguai mostrou que está voltando aos momentos de alegria”, afirmou o centroavante.

Jornal Midiamax