Geral

Candidato a prefeito de Jardim diz que usaram Facebook para tentar incriminá-lo

Alvo de condenação por suposta divulgação de pesquisa irregular, o candidato a prefeito de Jardim pela coligação “Novos Tempos”, Erney Cunha Bazzano Barbosa (PT), disse que adversários usaram o Facebook para tentar incriminá-lo. Na tarde de quarta-feira (26), a juíza da 22ª zona eleitoral, Penélope Mota Calarge Regasso, acolheu denúncia da coligação “A Força das […]

Arquivo Publicado em 27/06/2013, às 20h11

None

Alvo de condenação por suposta divulgação de pesquisa irregular, o candidato a prefeito de Jardim pela coligação “Novos Tempos”, Erney Cunha Bazzano Barbosa (PT), disse que adversários usaram o Facebook para tentar incriminá-lo.


Na tarde de quarta-feira (26), a juíza da 22ª zona eleitoral, Penélope Mota Calarge Regasso, acolheu denúncia da coligação “A Força das Novas Ideias” e condenou o petista ao pagamento de uma multa de R$ 53.205,00 por divulgação de pesquisa irregular.


Ela entendeu que o levantamento saiu sem controle de amostra e que não utilizou método cientifico para a realização. Na pesquisa, Erney aparece com larga vantagem na corrida pela Prefeitura de Jardim.


O petista, por sua vez, alega que nem tem conhecimento da pesquisa. “Na verdade nem se trata de uma pesquisa, mas de uma enquete”, comentou. “O pessoal da coligação adversária me marcou no Facebook com essa simulação de pesquisa”, prosseguiu.


Erney fez questão de frisar ter como provar a marcação no Facebook para afastar a responsabilidade com a simulação. “Foi uma armação dos adversários para me prejudicar”, avaliou.


Revoltado, ele informou que seus advogados já acionaram o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) para recorrer da sentença da juíza. “Também vamos representar contra a pessoa que me marcou no Facebook”, completou. Segundo ele, a página social foi usada pelos adversários como prova para incriminá-lo.

Jornal Midiamax